PSV renascendo

O Projeto Semente Viva está renascendo!!!! A semente plantada há 4 anos, teve como inspiração a tia Zilda, que aparece aqui nesta foto em primeiro plano segurando uma mudinha de planta, como que ofertando a todos nós novas possibilidades!

Sou grata a direção da Casa de Repouso São francisco de Paula, que teve a iniciativa de re ascender o Projeto! os idosos que lá residem sempre foram simpatizantes com o mesmo, e tenho certeza que ficarão muito felizes em poder participar de alguma forma deste momento.

Que deus abençoe a todos!

Paz e Luz!!!!

PSV

PSV

PSV1

PSV1
PSV reinicia na Casa de Repouso São Francisco de Paula

Mini Horta em casa

E quem disse que espaço reduzido impede de cultivarmos nossa horta em casa? vejam só esta idéia!!!!!!!! Experimente, tente, faça algo diferente!!!!!!!

Jardim de Hortaliças

Ultimamente resolvi resgatar aquele lado em mim que adora o contato com a Natureza! como disponho de pequenos espaços em casa, vou aos poucos adaptando... como uma caminhada começa sempre com o 1º passo, estou na fase de enamoramento com os utensílios necessários para a minha pequena horta. Em breve vamos colher e comer algumas verduras que aqui serão cultivadas. ]

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

A Magia do Ano Novo


Que nesse ano possamos sonhar,
E acreditar, de coração, que podemos realizar cada um de nossos sonhos,
Que esses sonhos possam ser compartilhados pelo bem,
E que eles tenham força de transformar velhos inimigos em novos amigos verdadeiros,

Que nesse ano possamos abraçar,
E repartir calor e carinho,
Que isso não seja um ato de um momento,
Mas a história de uma vida.

Que nesse ano possamos beijar,
E com os olhos fechados, tocar o sabor da alma,
Que tenhamos tempo para sentir toda a beleza da vida,
E que saibamos senti-la em cada coisa simples,

Que nesse ano possamos sorrir,
E contagiar a todos com uma alegria verdadeira,
Que não sejam necessárias grandes justificativas para nosso sorriso,
Apenas a brisa do viver,
Que nesse ano possamos cantar,
E dizer coisas da vida,
Que não sejam apenas músicas e letras,
Mas que sejam canções e sentimentos,

Que nesse ano possamos agradecer,
E expressar a Deus e a todos: “Muito Obrigado!”,
Que nesse “todos” não sejam incluídos apenas os amigos,
Mas também aqueles que, nos colocando dificuldades,
nos deram oportunidades de sermos melhores.

E assim começamos mais um Ano Novo,
Um dia que nasce, um primeiro passo, um longo caminho,
Um desafio, uma oportunidade e um pensamento:
“Que nesse ano sejamos, Todos, Muito Felizes!”

Muito Grata pela oportunidade de compartilharmos este ano!


SEMENTES PARA PLANTAR

Um grande rei, pai de três filhos, precisava escolher entre um deles o seu sucessor. A decisão era muito difícil pois os três eram muito inteligentes e corajosos.
Além disso, eles eram trigêmeos e o rei não sabia como realizar a sua escolha. Por isso, procurou conselhos com um sábio do reino, que lhe deu uma idéia.
O soberano foi para casa e chamou os três filhos. Informou- lhes que necessitaria partir para uma viagem muito prolongada, mas que desejava deixar com cada um deles algo muito precioso.
Tomou de três pacotes com sementes e deu um para cada um dos filhos, com a recomendação de que eles deveriam devolvê-las, quando ele retornasse, dentro de um ou talvez, dois anos. Frisou que, aquele que melhor cuidasse das sementes, seria o seu sucessor.
O primeiro filho, tão logo o pai partiu, começou a pensar o que deveria fazer com aquelas sementes. Finalmente, resolveu trancá-las em um cofre, raciocinando que, quando o pai voltasse, ele devolveria as sementes como as havia recebido.
O segundo filho, observando o que fizera o irmão, pensou que se ele trancasse as sementes, elas morreriam. E sementes mortas, não são mais sementes.
Por isso, foi ao mercado, vendeu as sementes e guardou o dinheiro. Assim, quando o pai voltasse, ele retornaria ao mercado e compraria sementes novas, até melhores do que as que o pai lhe houvera deixado.
O terceiro filho foi ao jardim. Olhou a imensidão da terra que circundava todo o grande palácio, e resolveu atirar as sementes por todos os lugares.
Quando o pai regressou da sua viagem, três anos depois, o primeiro filho correu ao cofre, abriu e descobriu, desolado, que as sementes estavam secas, mortas.
Triste, o pai olhou aquele pacote e disse ao filho: “são estas as sementes que dei a você? Elas tinham a possibilidade de desabrochar, de se transformar em flores e exalar um delicioso perfume. No entanto, agora, de nada valem. Estão mortas.”
O segundo filho foi até o mercado, comprou sementes novas e, orgulhoso, foi entregá-las ao pai, que elogiou a idéia do rapaz, mas lhe disse que, de verdade, ele não fizera nada de especial.
O terceiro filho apresentou- se ao pai e lhe disse não possuir mais as sementes. Entretanto, convidou o rei para ir até o jardim, e lhe mostrou centenas de plantas crescendo, flores desabrochando por todos os lados, numa profusão de cores e de perfumes interminável.
O rei o abraçou, feliz, dizendo- lhe: “esta é a maneira correta de proceder com as riquezas. Você é digno de ser meu sucessor.”
***
Todos os talentos que possuímos são como as flores. Não podem ser guardados em cofres, porque morrem, secam. Dinheiro, beleza, poder, precisam ser semeados para florescer. O que equivale a dizer, usados para gerar mais riquezas, mais beleza e proteção a todos.
O amor, para dar frutos e espalhar perfumes, que a muitos beneficiem, necessita ser semeado no coração das outras pessoas.
Todos nós temos a capacidade de transformar o deserto em que o mundo está se tornando num imenso oásis de paz, amor e beleza.
Um lugar onde o sol, as estrelas, o vento e o mar sejam realmente para todos.
(Equipe de Redação do Momento Espírita, baseado no livro “A revolução dos campeões”, de Roberto Shinyashiki, ed.
Infinito, 48ª edição. - www.momento.com.br - Ao repassar, respeite a autoria e a fonte)

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

DESPERTADOR

Na Índia os mestres sempre dizem:
Os problemas são despertadores que tentam acordar as pessoas para a vida. Aproveite para acordar logo, antes que o próximo despert-a-¬dor faça mais barulho.
Pense nisso:
O que essa dificuldade está querendo mostrar a você?
Problemas são avisos que a vida nos envia para corrigir algo que não estamos fazendo bem.
Problemas e doenças são sinais de emergência para que possamos transformar nossas vidas.
Aliás, problemas e doenças guardam muita semelhança entre si.
Infelizmente, a maioria das pessoas, quando fica doente, cai num lamentável estado de prostração ou simplesmente toma remédio para tratar os sintomas em vez de fazer uma pausa para refletir sobre os avisos que essa doença está enviando.
São poucos os que se perguntam:
"Por que meu organismo ficou enfraquecido e permitiu que a doença o atacasse?"
Uma doença é sempre um aviso, embora muita gente não preste atenção nele.
Assim como os problemas, os sintomas vão piorando na tentativa de fazer com que você entenda o recado.
No começo pode ser uma leve dor de cabeça; um recado para que você pare e analise o que está faltando em sua vida.
Mas você não tem tempo, toma um analgésico e nem percebe direito que a dor está aumentando.
Então a dor piora, mas você vai à acupuntura para ali¬viá-la e não presta atenção quando o médico diz que o tratamento é paliativo e que você precisa mudar seu estilo de vida para eliminar as causas da doença.
As doenças são recados que precisamos levar a sério, principalmente as doenças que se repetem.
Dores de cabeça, alergias de pele, má digestão, todos esses distúrbios querem nos mostrar algo.
Saber procurar e achar as causas deles é uma atitude muito sábia.
Nossos inimigos, da mesma forma que os problemas e as doenças, são gritos de alerta para cuidarmos de algo que não está certo em nossa vida.
Quando os ouvimos com atenção, nossos inimigos podem se transformar em maravilhosas alavancas de crescimento pessoal.
Assim como as doenças e os inimigos, os problemas nos enviam avisos que precisamos aprender a decodificar.
Se você tem um problema que está se repetindo em sua vida, é chegada a hora de fazer uma análise do seu significado para poder superá-lo. E tenha muito claro que, no momento em que supera um problema que o acompanha por algum tempo, uma nova pessoa nasce dentro de você.

Autor: Roberto Shinyashiki

sábado, 5 de dezembro de 2009

Jardins Sensorias Olfativos

MANJERICÃO
HORTELÃ

ALECRIM


Plantas aromáticas: são aquelas que possuem aroma e/ou perfume, capazes de sensibilizar nosso olfato de modo agradável. A percepção dos aromas depende da sensibilidade de cada pessoa: umas são mais sensíveis, podendo até desenvolver alergias e, outras menos sensíveis, desfrutam simplesmente do prazer em sentir o aroma das plantas.

Plantas medicinais: são aquelas cujo princípio ativo é capaz de aliviar ou curar enfermidades. A utilização das plantas medicinais data de épocas muito antigas, quando o homem procurava na natureza por plantas que lhe curassem ou aliviassem sua dor. Por tentativa e erro, o homem descobre a cura através das plantas, passando este conhecimento para as gerações posteriores. Assim herdamos o conhecimento da cura através das plantas, de nossos antepassados e dos povos indígenas que povoam nosso país.

Plantas condimentares: são aquelas usadas no tempero para realçar o sabor e o aspecto dos alimentos. Muitas vezes os condimentos podem ser usados como conservantes.
Betina Woehl - Bióloga.



Os jardins sensoriais olfativos – comumente conhecidos como jardins aromáticos e/ou de ervas – de influência medieval também podem ser utilizadosno paisagismo. Nestes jardins é possível sentir o agradável aroma das ervas e temperos caseiros, além de servirem no preparo de receitas culinárias e temperos em geral. As espécies mais utilizadas são o alecrim, hortelã, manjericão, salsinha, cebolinha, gengibre, coentro, além de ervas que servem para ungüentos e chás, como camomila, erva doce, erva-cidreira, dentre outras.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

O que você faria pelo bem do planeta?

Apagar as luzes, andar menos de carro ou plantar uma árvore são algumas atitudes que quatro em cada cinco pessoas no mundo estão dispostas a fazer para salvar o planeta. Esse foi o resultado de uma pesquisa encomendada pela BBC, que entrevistou 22 mil pessoas em 21 países, inclusive no Brasil.

O estudo revelou que as pessoas estão mais conscientes sobre as causas e conseqüências das mudanças climáticas. Segundo a enquete, oito em cada dez pessoas ao redor do mundo acreditam que a atividade humana está provocando mudanças climáticas, 73% dos entrevistados manifestaram apoio a um acordo global em que cada país limite suas emissões de gases que causam o efeito estufa. Entre os brasileiros, 76% querem ações urgentes contra esse fenômeno e 63% declararam ser a favor de limitar a emissão de gás carbônico nos países em desenvolvimento.

O relatório final da pesquisa foi apresentado num encontro de líderes na ONU, que reuniu representantes de 150 países. Um outro importante passo no combate ao aquecimento global será o Tratado do Clima, que acontecerá na ilha de Bali, Indonésia, em dezembro.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

ANÁLISE E SITUAÇÃO DO CAMPO:




Recebi esta mensagem de uma amiga, e compartilho com vocês, porque metaforicamente só depende de nós espalharmos as sementes e observarmos tudo o que vamos colher!




Se estiver muito estéril e cansado devido a monocultura dos erros ou, então, há tempos inativo na produção de boas obras, será preciso restaurá-lo mediante a seguinte fórmula, de ótimos resultados:
Primeiramente providencie a limpeza do local, capinando todo ódio, eliminando-o pela raiz. Remova as touceiras do egoísmo. Roce rente a falsidade e a mentira, colocando-as a secar à luz do sol da verdade. Procure juntar todos os detritos da vaidade e da soberba e faça-os deteriorar na sombra da humildade. Para estimular a produtividade dos valores reais, prepare um composto com os elementos da santificação, incinerando gradualmente as atitudes pecaminosas e misturando suas cinzas com as folhas soltas caídas das árvores da ilusão, adicionando o esterco bem seco da cobiça e as cascas apodrecidas da hipocrisia.
Deixe estes ingredientes se decomporem em presença do oxigênio do autodomínio, auxiliado pela fermentação do desapego. Para reforçar a adubação, incorpore à massa material à base de conhecimento e sabedoria.
Um bom auxílio no processo é, também, a vida ativa das minhocas da prudência, pois facilitam a penetração dos nutrientes da retidão e da dignidade moral, assim como evitam a compactação no solo dos defeitos. Mate o orgulho e utilize-o como mulche, isto evitará a evaporação da modéstia e ajudará a manter o frescor da simplicidade.Para um rápido crescimento
das plantinhas do afeto e da moderação, o melhor clima é o da paz e a melhor temperatura é a do equilíbrio.
Após este preparo inicial, are o local com as ferramentas do carinho e da paciência e nas partes mais duras e rígidas da área a ser cultivada, abra, com firmeza e boa vontade, sulcos profundos de flexibilidade e delicadeza .
Evite previamente a erosão da discórdia, usando curvas de nível de compreensão.
Para garantir o sucesso do plantio e da colheita, escolha somente as sementes mais sadias e vigorosas, provenientes da geração biológica e espiritual do amor universal, totalmente isentas dos aditivos químicos das drogas e da corrupção e com a alta qualidade germinativa da fraternidade e otimismo, mesmo em meio às provações e deficiências humanas do agricultor inexperiente.
TRATOS CULTURAIS:
Alguns dias após a semeadura, ao despontarem, os primeiros brotos da fé, regue-os diariamente com lágrimas doces de devoção, mas tome cuidado de desbastar o excesso de sentimentalismo emocional, com a foice da razão. Corte o joio dos vícios com o machado das virtudes e arranque as ervas daninhas do mal com as próprias mãos, plenas de benevolência.
Com o ancinho da disciplina e a pá da determinação, libere a plantação dos entulhos da negligência e do comodismo. Controle as queimadas destruidoras, apagando o fogo das paixões com a água fria da renúncia.
Para afastar as formigas da insatisfação, espalhe o remédio do contentamento.
Para combater os grilos da especulação, solte seus inimigos naturais, os pássaros da intuição.
Para evitar os fungos da distração, use um preparo de plena atenção. Extermine as demais pragas da avareza e das trevas, pulverizando tudo com os produtos da caridade. Quando surgirem as tempestades da tentação, trazendo os relâmpagos da perdição e as ventanias dos prazeres vãos, proteja os rebentos da pureza com a cobertura da austeridade e da oração.

MÃOS À OBRA E BOA SORTE!

REPARTA OS FRUTOS COM OS IRMÃOS.


sábado, 21 de novembro de 2009

Mandala de Ervas Aromáticas e Condimentares

E o trabalho continua!!!!!!!

Observem como em menos de 2 meses, as Ervas Condimentares cresceram!!!!! imaginem o aroma... o sabor... " a semeadura é livre, mas a colheita inevitável..."

Estamos aprendendo muitas coisas neste período, e de todas elas a que mais me mantem em estado de Gratidão, é a fartura que a Natureza nos brinda a cada dia... não temos oferecido a ela tudo o que seria necessário, mas ainda assim recebemos o que precisamos para continuar .

Somos Gratos!!!!!

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Flor que enfeita salada previne doenças




Uma flor comestível, mais usada como ornamental do que para enfeitar saladas, está agitando o meio científico: é a Capuchinha, também conhecida como Nastúrcio. Nomeada cientificamente como Tropaeolum majus, a capuchinha acaba de revelar mais uma qualidade - a flor é rica em um carotenóide, a luteína, que está relacionada com a prevenção de doenças como a catarata e a degeneração macular, principal causa de cegueira entre pessoas com mais de 55 anos. A constatação está na dissertação de mestrado de Patrícia Yuasa Niizu, defendida junto à Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA) da Unicamp.

Carotenóides são pigmentos amplamente distribuídos na natureza, responsáveis pelas cores laranja, amarela e vermelha das frutas, verduras, flores, alguns peixes e pássaros, bactérias, algas, fungos e leveduras. Embora não haja uma recomendação "formal" quanto à quantidade a ser consumida, alguns estudos apontam que a ingestão "prudente" dessas substâncias auxilia no fortalecimento do sistema imunológico e na redução de doenças degenerativas, como as do coração, da visão e certos tipos de câncer. De acordo com Patrícia, existem pesquisas que apontam que cinco porções de frutas e verduras ao dia seriam adequadas para proporcionar ganhos à saúde.

Pensando nisso, a autora da dissertação resolveu investigar um pouco mais sobre os carotenóides em flores, folhas e frutas. Em seu trabalho, Patrícia comprovou a Capuchinha é muito rica em luteína, um dado ignorado até então. O aspecto curioso dessa descoberta é que a flor, embora seja comestível, tem um uso mais decorativo do que nutritivo. "Por ser bonita e apresentar cores como o amarelo, o laranja e o vermelho, ela é mais utilizada para enfeitar saladas. Entretanto, se for consumida em níveis prudentes, a Capuchinha pode contribuir para prevenir doenças graves da visão, como a degeneração macular e a catarata", explica a autora da dissertação.

O único fator que depõe atualmente contra a Capuchinha é que, a exemplo de outras flores comestíveis, ela é cara, pois está associada a pratos refinados. Disponível nas gôndolas de supermercados, seu preço não está a alcance de muitas famílias brasileiras. "Mas esse problema pode ser contornado. Essa flor é de fácil cultivo. Pode ser plantada no quintal, como parte da horta doméstica. Além disso, tem um sabor bom, parecido com o do agrião. Em uma viagem recente a Portugal, minha orientadora constatou que a Capuchinha é tão abundante que divide espaço com o mato", conta Patrícia.

A Capuchinha, conforme a pesquisadora, poderia substituir uma outra flor, de nome Marigold. Embora não seja comestível, esta última é utilizada na composição da ração do frango. A luteína presente na Marigold reforça a coloração amarela tanto da pele da ave quanto da gema do ovo.

Num outro capítulo de sua dissertação, Patrícia investigou os carotenóides presentes nos alimentos mais consumidos pelos brasileiros, em saladas cruas. Foram analisados: alface lisa, alface crespa, agrião, almeirão, rúcula, cenoura, tomate e pimentão, sendo que este último não demonstrou ser tão rico nessas substâncias. As demais, porém, apresentam quantidades significativas dos compostos naturais, fato que recomenda a sua inclusão na dieta alimentar cotidiana dos brasileiros.

Para saber mais: www.unicamp.br

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

1ª Colheita!

Amigos!
Esta semana( 10/11/09), colhemos as primeiras verduras !!! alface e coentro!!!!!!
A cada dia que passa, maior é a certeza que a terra nos ensina muito, só depende de nós querermos aprender... nova área está sendo preparada para a criação da próxima Mandala, onde serão cultivadas as primeiras mudas de Plantas Medicinais; em breve compartilharemos as fotos deste local ; vocês tb verão como as Ervas Aromáticas tem se desenvolvido neste período que temos sido brindados pela mãe natureza com extremos de temperatura.
Nada se compara a estes momentos, em que próximos à terra, podemos ouvir mais de perto, os sons do coração; o canto dos pássaros; a beleza do colorido; o cheiro de mato e terra molhada que para muitos está tão distante... nada se compara a oportunidade que nos está sendo oferecida para fazermos a nossa parte, de forma ativa, auxiliando nosso Planeta, e aqueles idosos que lentamente se aproximam e aos poucos voltam a sonhar...
" Muitos são os chamados, mas poucos os escolhidos..."- Sou Grata!!!!!!

Amor

" A semente nunca está em perigo, lembre-se disso. Que perigo haveria para a semente? Está completamente protegida. Mas a planta está sempre em perigo, a planta é muito delicada. A semente é como uma rocha, dura, protegida por uma crosta grossa. mas a planta precisa emfrentar mil e um perigos. E nem todas as plantas atingirão o estágio em que poderão florescer em mime uma flores...
Poucos seres humanos atingem o segundo estágio, e , destes, muito poucoas atingem o terceiro , o estágio da flor. Por que não podem atingir o estágio da flor? Por causa da ganância, por causa da miséria; não estamos prontos para dividir... Por causa de um estado em que há falta de AMOR. É necessário coragem para tornar-se uma planta, e é necessário amor para tornar-se uma flor.
Uma flor significa que a árvore está abrindo seu coração, liberando seu perfume, oferecendo sua alma, vertendo seu ser na existência.
Não continue sendo apenas uma semente. Reuna CORAGEM- coragem para deixar para traz o ego; coragem para deixar para traz sua segurança; coragem para tornar-se vulnerável".

O Livro da Transformação( Osho)

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

A ciência descobre o surpreendente domínio da consciência vegetal



Os corpos sutis


Se, no homem, essa percepção básica nem sempre parece ocorrer, isso se deve ao filtro dos cinco sentidos, à força do pensamento racional, que obscurece as demais funções psíquicas, e a todo um condicionamento cultural, que determina o que deve ou não deve ser percebido. Como provaram outros experimentos, essa percepção a distância não é bloqueada por dispositivos de blindagem elétrica, como a gaiola de Faraday, nem por paredes de chumbo.

E Backster chegou a cogitar que ela não se limitaria aos organismos complexos, mas poderia descer aos níveis celular, molecular, atômico e até mesmo subatômico, perpassando toda a existência. Essa opinião ousada apresenta fortes afinidades com a hipótese da ressonância mórfica, do biólogo inglês Rupert Sheldrake, e com as revolucionárias descobertas sobre a consciência do psiquiatra checo Stanislav Grof (leia as reportagens "Ressonância mórfica: a teoria do centésimo macaco" e "Consciência sem limites", em Galileu, números 91 e 94, respectivamente).

Em outras palavras, cada planta — para não dizer cada ente material — estaria associada a um invisível e impalpável campo de consciência. Tal idéia, que vem ganhando adeptos entre os cientistas de vanguarda, converge com a visão de todas as grandes tradições espirituais da humanidade. Estas são unânimes em considerar a consciência como um dado primário da existência e afirmam que, além de seus corpos físicos, os entes materiais são constituídos por uma série de "corpos sutis", encaixados uns dentro dos outros como bonecas russas.

As percepções descobertas por Backster e seus sucessores configurariam um esboço ou embrião daquilo que algumas tradições chamam de "corpo mental". Entre esse nível mais alto e o físico, as plantas, como todos os seres vivos, possuiriam um corpo intermediário, constituído pela rede de canais por onde flui a chamada "energia vital" (que corresponde ao prana dos indianos e ao qi dos chineses). Esse "corpo vital" é o objeto de práticas médicas como a acupuntura, que se destinam a desobstruir os canais e regularizar o fluxo da energia.

Vantagem econômica
A acupuntura em plantas vem sendo praticada com sucesso pelo médico Evaldo Martins Leite, presidente da Associação Brasileira de Acupuntura. Ele orientou, há cinco anos, uma pesquisa científica rigorosa, realizada pelo biólogo Alexandre Eustáquio de Sena, na Pontifícia Universidade Católica de Belo Horizonte, MG. Sena dividiu uma plantação de feijão em duas partes iguais, tratando uma com acupuntura e mantendo a outra como grupo de controle. As plantas submetidas à acupuntura desenvolveram maior número de vagens, maior quantidade de grãos em cada vagem e maior peso por grão.

"Como ocorre nos homens e animais, os problemas de saúde que afetam os vegetais decorrem de um perturbação na circulação e distribuição do qi, a energia vital", explica Evaldo Martins Leite. "Isso resulta de um desequilíbrio dos princípios yang e yin (masculino e feminino)." O acupunturista ensina que as áreas de ramificação das plantas — isto é, onde os galhos saem dos troncos ou os ramos saem dos galhos — são regiões de concentração de qi.

Os ângulos externos formados nesses lugares são yang e os internos, yin. "A energia yang é responsável pelo crescimento da planta. A yin, pela produção de flores, frutos e sementes. A introdução de pregos, agulhas ou a simples raspagem das áreas correspondentes estimula um ou outro princípio e promove a função regida por ele", informa o acupunturista. Não é possível ativar as duas funções ao mesmo tempo.

A energia é uma só: se ela for desviada para o crescimento, a produção de frutos cairá, e vice-versa. Mas as vantagens — inclusive econômicas — oferecidas pela acupuntura em vegetais são importantes demais para serem tratadas como simples curiosidade.

Na Bahia, está em curso uma pesquisa visando aumentar a produção de látex nas seringueiras e o enraizamento dos toletes de cana-de-açúcar destinados ao plantio. Reconhecendo as dimensões sutis do mundo vegetal, o homem poderá estabelecer com ele um novo tipo de relacionamento, vantajoso para ambos.

José Tadeu Arantes

A mente oculta das plantas

Pesquisa

A Ciência descobre o surpreendente domínio
da consciência vegetal



As plantas são capazes de perceber agressões à vida praticadas do outro lado da parede. E parecem ter consciência até mesmo de intenções ocultas na mente humana. Essa fantástica revelação — que foi tema do livro A Vida Secreta das Plantas, de Peter Tompkins e Christopher Bird, e inspirou o álbum de mesmo nome do compositor e cantor Steve Wonder — vem sendo confirmada por pesquisas científicas realizadas no Brasil. Ela faz parte de um conjunto de descobertas que deverá revolucionar a visão de mundo do próximo século e apontam para um relacionamento mais harmonioso entre o homem e a natureza.

Os xamãs — homens de conhecimento das comunidades pré-históricas — já sabiam que, por trás de seu aparente torpor, as plantas possuem uma vida secreta, cheia de percepções e atividades. Esse mundo oculto foi contactado, desde então, por visionários de diferentes épocas e lugares, como o místico alemão Jacob Boehme (1575-1624), que dizia ser capaz de penetrar a consciência das plantas.

A ciência materialista, porém, preferiu descartar esse tema, que desafiava sua limitada descrição da realidade. Ele co ntinuaria provavelmente ignorado se, em 1966, uma descoberta casual não tivesse rompido essa conspiração de silêncio. Naquele ano, Cleve Backster, então o maior especialista americano em detecção de mentiras, teve a estranha idéia de fixar os eletrodos de um de seus detectores numa folha de dracena, espécie tropical utilizada como planta ornamental.

Ele foi movido pela simples curiosidade, mas o que encontrou abalaria os fundamentos da visão de mundo dominante. Backster suspeitava que a planta reagisse a agressões reais à sua integridade física. Mas não podia imaginar que a simples idéia dessas agressões provocasse saltos violentos nos gráficos traçados pelo aparelho. Pois foi exatamente o que aconteceu quando ele pensou em queimar uma das folhas da dracena.

E voltou a acontecer quando se aproximou dela com uma caixa de fósforos, disposto a levar sua intenção à prática. A planta parecia ler o seu pensamento e sabia distinguir as ameaças reais da mera simulação.

Sem querer, Backster abrira a porta que dava entrada a uma realidade totalmente inesperada — e desconcertante.

A grande novidade do experimento foi ter propiciado um acesso direto às percepções das plantas sem a intermediação de sensitivos humanos: não era preciso ser paranormal para contactar o mundo da consciência vegetal. Esse ponto de vista foi reforçado, em julho último, por uma pesquisa feita na Universidade de Gant, na Bélgica.

Valendo-se de imagens em infravermelho, o pesquisador Dominique van der Straeten e sua equipe descobriram que as folhas de tabaco têm a capacidade de reagir com uma espécie de febre quando infectadas por certos tipos de vírus. Como relatado no jornal Nature Biotechnology, as folhas sofreram um aumento de temperatura de até 0,4 grau Celsius, oito horas antes dos efeitos dos vírus se manifestarem, num processo "fisiológico" semelhante ao do corpo humano.

Percepção básica
Atento a tais descobertas, um brasileiro resolveu fazer uma investigação parecida. Trata-se do engenheiro Arlindo Tondin, mestre em eletrônica pela Universidade de Nova York e um dos fundadores da Faculdade de Engenharia Industrial, de São Bernardo do Campo, SP.


O engenheiro Arlindo Tondin fixa eletrodos numa planta. A foto foi realizada no Laboratório de Metrologia Elétrica da FEI, em São Bernardo do Campo, SP. O local é blindado eletricamente para eliminar a influência dos ruídos externos
Tondin fixou eletrodos próximo à raiz e num dos galhos de um limoeiro. "Verifiquei que havia, entre os dois pontos, uma diferença de potencial elétrico da ordem de microvolts", informa. "Eu já desconfiava que a ascensão da seiva estivesse associada a um fenômeno elétrico e, para confirmar isso, liguei aos eletrodos uma pilha de 1,5 volt, de modo a intensificar a corrente na região. Resultado: os frutos do galho onde estava o eletrodo ficaram maiores e amadureceram mais rápido que os demais."

Estava provada a tese da seiva. O próximo passo era averiguar como as agressões externas afetavam a corrente elétrica que circula na planta. Para isso, o engenheiro utilizou um osciloscópio de raios catódicos de alta sensibilidade. "Conectei o osciloscópio aos eletrodos e, com uma vela, comecei a queimar algumas folhas. A resposta foi quase imediata: a imagem da tela do osciloscópio, que estava estacionária, passou a apresentar intensas variações." Tondin espantou-se com a reação provocada por seu ato. "Comecei a questionar até que ponto eu tinha o direito de agredir o vegetal e a natureza. E resolvi interromper a pesquisa."

O engenheiro convenceu-se da seriedade dos experimentos descritos em A Vida Secreta das Plantas. Num deles, também realizado por Backster, três plantas reagem à matança de camarões, cometida numa outra sala. Essa investigação foi conduzida com os cuida dos que caracterizam as melhores pesquisas científicas:

1-foram escolhidos, como vítimas, animais de grande vitalidade, pois já tinha sido notado que seres doentes ou a caminho da morte não eram capazes de estimular as plantas a distância;
para evitar que a subjetividade dos pesquisadores influísse nos resultados, os camarões eram despejados numa vasilha de água fervente por um mecanismo automático, longe das vistas de qualquer ser humano;
2-eliminaram-se as possibilidades de que o próprio funcionamento do mecanismo ou eventuais perturbações eletromagnéticas afetassem a forma dos gráficos;
as plantas, monitoradas por detectores, foram colocadas em três salas diferentes, submetidas às mesmas condições de temperatura e iluminação.
A análise dos gráficos mostrou que as plantas reagiam intensa e sincronizadamente à morte dos camarões — numa proporção que excluía qualquer hipótese de uma flutuação puramente casual das variáveis elétricas. Backster sentiu-se respaldado para formular a tese de que os vegetais, como todo organismo vivo, dispõem de uma percepção primária que lhes permite detectar, a distância, qualquer agressão à vida.

Organismos complexos:

Apesar de sua aparência simples, as plantas são organismos altamente complexos. Uma planta pequena, como o pé de centeio, possui nada menos que 13 milhões de radículas em sua raiz. Estas são formadas, por sua vez, de 14 bilhões de filamentos, que, se fossem enfileirados um após o outro, cobririam uma extensão de 11 mil quilômetros, quase a distância de um pólo a outro.

Toda planta é dotada de uma malha elétrica em equilíbrio. Nas árvores, a corrente elétrica sobe pelo anel externo e desce pelo anel central. Como demonstrou a pesquisa do brasileiro Arlindo Tondin, essa corrente está associada ao fluxo da seiva.

Por José Tadeu Arantes

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Uma Abordagem Ética à Proteção Ambiental



A paz e a vida na Terra estão ameaçadas por atividades humanas não compromissadas com valores humanitários. A destruição da natureza e seus recursos é resultado da ignorância, da cobiça e da falta de respeito pelos seres vivos, incluindo nossos próprios descendentes. As gerações futuras herdarão um planeta extremamente degradado, caso a paz mundial não se efetive e a destruição da natureza continue nesse ritmo.
Nossos ancestrais viam a Terra como rica e generosa, o que ela realmente é. Muita gente no passado também via a natureza como inexaurivelmente sustentável.
Está comprovado que caso cuidemos bem da Terra, ela pode ser efetivamente uma fonte inesgotável de recursos.
Não é difícil perdoar a destruição causada à Terra no passado, fruto da ignorância. Hoje, contudo, temos fácil acesso a todo o tipo de informação e é essencial que examinemos eticamente o que herdamos, quais são nossas responsabilidades e o que passaremos para as gerações vindouras. Muitas dessas gerações poderão não conhecer habitats, animais, plantas, insetos e microorganismos da Terra. Temos a capacidade e a obrigação de agir e devemos fazê-lo antes que seja tarde demais. O mesmo cuidado que temos em cultivar relações pacíficas com nossos semelhantes, deve ser estendido ao meio ambiente.
E não apenas por uma questão moral ou ética, mas pela nossa própria sobrevivência. Para a geração presente e para as futuras, o meio ambiente é fundamental. Se o explorarmos exaustivamente, podemos receber algum benefício hoje, mas, a longo prazo, sofreremos as conseqüências. Quando o meio ambiente se altera, as condições climáticas também se alteram e, por conseguinte, nossa saúde está sendo muito afetada. Repetindo, a conservação não é meramente uma questão moral, mas sim da nossa própria sobrevivência.
Portanto, para conseguirmos proteção e conservação ambiental mais eficazes, é essencial que o ser humano desenvolva um equilíbrio interno. O desconhecimento em relação à importância da preservação do meio ambiente causou graves danos à humanidade. Precisamos agora ajudar as pessoas a compreenderem a necessidade urgente da proteção ambiental para a nossa sobrevivência.
Se você quer ser egoísta, então seja sábio e não mesquinho em seu egoísmo. A chave está no nosso senso de responsabilidade universal. Essa é a verdadeira fonte de luz, a verdadeira fonte de felicidade. Se esgotarmos tudo o que estiver disponível na Natureza, como árvores, água e sais minerais, e não fizermos um planejamento adequado para as próximas gerações, para o futuro, certamente estaremos em falta. Entretanto, se tivermos um verdadeiro senso de responsabilidade universal como força motriz, nossa relação com o meio ambiente e com nossos vizinhos serão bem mais equilibradas.
Por último, a decisão de salvar o meio ambiente deve brotar do coração do homem. Clamemos a todos para que desenvolvam um senso de responsabilidade universal fundamentado no amor, na compaixão e na clareza de consciência.


Autor: Texto extraído da obra A Policy of Kindness
Fonte: www.dalailama.org.br


domingo, 18 de outubro de 2009

Grande Evento

Sou Grata, Sou Grata, Sou Grata!!!!!!!!!!
" ... Hoje é um novo dia de um novo tempo que começou..."
Hoje foi um dia marcante não só para mim, como para os amigos residentes da Casa de Repouso São Francisco de Paula, onde foi realizado o encontro de Jerry Adriani e amigos (Ellen de Lima e Carlos Evanney, o cover oficial do Roberto Carlos). Certamente aqueles momentos ficarão gravados em muitos que ali estavam, porque relembraram velhos tempos, memórias que não voltam mais... todos cantaram, alguns arriscaram dançar, muitos se emocionaram, e só temos a agradecer a amiga incansável que produziu este evento (Alair Malerbi), e a todos que lá estiveram e contribuiram com esta tarde tão especial. O Universo é sempre muito generoso , quando temos nossos ideais alinhadaos com o "Grande Arquiteto", que como num passe de mágica faz acontecer as pessoas certas, nos locais certos, na hora certa. Não há recompensa maior do que sentir a emoção que brotou no olhar daqueles idosos, e a alegria que esboçaram no sorriso, no abraço, por se sentirem vivos, mesmo que por alguns instantes... foi forte ouvir o " Roberto Carlos"cantar: "... Quando eu estou aqui, eu vivo este momento lindo...", e o Jerry Adriani entoar músicas que falam de amor, como as italianas, ou aquelas que durante muito tempo foram verdadeiros hinos para a Jovem Guarda; a Elen que continua com um vozeirão, arrpiante cantando Gonzaguinha: "... Viver , e não ter a vergonha de ser Feliz..."
Sinto que agora , o Projeto acaba de nascer de fato. Ganhamos um padrinho (Jerry); uma logomarca (linda!!!!), camisetas, Banner, placa de inauguração, e uma data - 18/10/2009 (dia do Médico e de São Lucas), e muiiiitos amigos voluntários e colaboradores que o Projeto abre suas portas!
Amo vocês! Sou Grata!
Myrian

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Garden Therapy ( Hortoterapia )

Jardim é terapia
O contato direto com a natureza é capaz de ajudar na recuperação de doenças, estimulando a vontade de a pessoa viver e lutar. Conheça a Garden Therapy, ou hortoterapia, uma eficaz coadjuvante dos tratamentos convencionais


"... Meu querido Theo, se eu ficar aqui, o médico naturalmente poderá avaliar o que há de errado e ficará, espero, mais tranquilo em permitir que eu pinte... Me sinto forçado a pedir mais tinta, e principalmente telas. Quando eu lhe mandar os quatro quadros que estou trabalhando agora, você verá que, desde que cheguei aqui, considerando que passo a maior parte do tempo no jardim, não é tão triste...".

Este é um fragmento da primeira carta escrita pelo famoso pintor Vincent Van Gogh a seu irmão Theo, em maio de 1889, quando se internou voluntariamente numa Casa de Saúde da cidade de Saint Remy, em Provença (França). Após descrever seu quarto, a comida, as poucas atividades dirigidas aos pacientes e a gravidade de suas doenças, ele informava ao irmão que se sentia bem. Sofrendo de Transtorno Bipolar, Van Gogh buscava solução para seus altos e baixos. No período em que esteve ali, o ambiente que o cercava permitiu que ele produzisse 150 obras, a maioria retratando flores selvagens, oliveiras, ciprestes, incluindo o conhecido quadro, Vaso com íris. Passados 120 anos, especialistas utilizam a Garden Therapy ou hortoterapia como instrumento de cura: o objetivo é maximizar as funções sociais, cognitivas, físicas e psicológicas, melhorando a qualidade de vida dos pacientes.

A técnica combina cultura de plantas e jardinagem ativa e passiva (contemplação ou "jardim-reflexo"), e é considerada eficaz como coadjuvante das terapias convencionais. Médica e consultora especializada em Healing Gardens (Jardins da cura) da Faculdade de Agronomia e Farmácia da Universidade de Estudos de Milão, autora do livro II giardino che cura ("O jardim que cura", Ed. Giunti, sem tradução para o português), Cristina Borghi conta que a terapia nasceu antes que a psiquiatria se tornasse uma ciência.

Entre os séculos XVIII e XIX, observou-se que pacientes psiquiátricos melhoravam quando se envolviam em atividades de jardinagem em sentido amplo (cortar lenha, preparar o fogo, carpir ou realizar atividades domésticas). O contrário, ou seja, se manter inativo, piorava a saúde física e mental dos doentes.

A técnica combina jardinagem e contemplação para maximizar as funções sociais, cognitivas, físicas e psicológicas dos pacientes

MECANISMOS EM AÇÃO

A partir daí, a hortoterapia passou a ser uma alternativa útil que faz do paciente um protagonista do próprio restabelecimento. É que a terapia funciona colocando em movimento três mecanismos distintos: a interação com as plantas, a ação e a reação.

O primeiro favorece a reciprocidade a partir do médico: "Muitas vezes o profissional tem dificuldade em aproximar-se porque o doente está inserido numa realidade de desafeto, delírios e alucinações", explica Cristina. Além disso, "a capacidade de interagir é fundamental para pessoas que sofrem com depressão, ansiedade, autismo e demência. A terapia também atenua sintomas como a pouca resistência ao estresse, falta de autoestima e vitimismo", completa. O segundo mecanismo, a ação, mantém o doente ocupado, distraindo- o, dando-lhe segurança, e é um ótimo substituto do trabalho. Favorece a concentração, sendo também um satisfatório processo criativo.

O terceiro e último mecanismo, a reação, constitui um elemento de ligação entre o paciente e o jardim, que se estabelece a partir da resposta emotiva que uma paisagem ou uma flor suscitam. "Esse mecanismo alcança o inconsciente porque somos psicologicamente dependentes das plantas, já que elas possuem uma estabilidade dinâmica que opera por meio da mudança", revela. Segundo Cristina, observando a natureza, aprendemos a conhecer e a enfrentar a vida. Amadurecemos e crescemos adquirindo uma compreensão das coisas indispensáveis para superar os desafios do cotidiano.

"Um jardim representa o vínculo concreto com admirá- lo, aumenta o sentido de controle da doença e estimula a vontade de viver e lutar, mesmo que a qualidade de vida esteja objetivamente ruim." A médica lembra que os cuidados com um jardim diminuem o estresse porque permitem uma pausa que coloca a mente em estado meditativo. "O encanto da beleza age diminuindo os sentimentos negativos, acalma, leva ao otimismo, à esperança e promove a confiança na cura: um jardim corresponde ao arquétipo do Paraíso: um lugar belo, bom e encantado onde vige a harmonia. O que precisamos é exatamente disso e nada mais."

Cuidar de um jardim ajuda a diminuir o estresse porque permite uma pausa que coloca a mente em estado meditativo



Quimioterapia ao ar livre

Ter acesso a um espaço verde no ambiente hospitalar pode viabilizar a recuperação do senso de controle do paciente, entendido "como a capacidade de decidir o que fazer em diversas situações, ter espaço para sociabilizar com os amigos e parentes, distraindo-se da aura hospitalar e da realidade que se está vivendo", explica Sara Pasqui.

Sérgio Simon, oncologista do Hospital Israelita Albert Einstein, conta que seus pacientes solicitam atendimento ao ar livre, entre plantas, árvores e pássaros: "O jardim tem um efeito calmante e tranquilizante sobre eles, fazendo com que sintam menos alguns dos efeitos colaterais da quimioterapia, principalmente a náusea". Simon diz que existem casos de pessoas que só conseguem receber a quimioterapia no jardim: "Nos dias de chuva, por exemplo, eles precisam ser atendidos dentro do ambulatório, mas apresentam muito mais enjoo, chegando até mesmo a vomitar".



Para o oncologista, a implantação de espaços verdes em hospitais humaniza um ambiente geralmente associado à frieza, esterilidade, e até mesmo hostilidade em relação aos pacientes.

"Os psiquiatras já sabem disso há mais de 100 anos! Creio que o verde, o contato com a natureza, o sol e seus efeitos tranquilizantes e humanizadores podem trazer benefícios profundos para a psique, agindo até mesmo sobre determinados aspectos clínicos em pacientes internados. E isso pode fazer muita diferença no processo de recuperação."

O Hospital Santa Catarina, em São Paulo, é um dos poucos que já possuem um jardim dedicado aos pacientes. É lá que muitos encontram paz e conforto, apenas contemplando o belo ao lado de uma agitada Avenida Paulista

POR CRISTINA ALMEIDA
Viver Bem









MS elabora Relação de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS


São 71 espécies com potencial terapêutico, para orientar a cadeira produtiva e o desenvolvimento de pesquisas.

Uma lista com 71 plantas de interesse do SUS está sendo divulgada pelo Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos do Ministério da Saúde. Dentre algumas espécies constam a Cynara scolymus (alcachofra), Schinus terebentthifolius (aroeira da praia) e a Uncaria tomentosa (unha-de-gato), usadas pela sabedoria popular e confirmadas cientificamente, para distúrbios de digestão, inflamação vaginal e dores articulares, respectivamente.

A Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (Renisus) apresenta plantas medicinais que apresentam potencial para gerar produtos de interesse ao SUS. A finalidade da lista é orientar estudos e pesquisas que possam subsidiar a elaboração da relação de fitoterápicos disponíveis para uso da população, com segurança e eficácia para o tratamento de determinada doença. Atualmente, são oferecidos fitoterápicos derivados de espinheira santa, para gastrites e úlceras, e de guaco, para tosses e gripes.

“Chegamos a 71 espécies depois de fazer um levantamento nos municípios que utilizavam fitoterápicos. Também priorizamos a inclusão de plantas nativas, que possam ser cultivadas em pelo menos uma das regiões do país e que possam atender às doenças mais comuns nos brasileiros”, explica o diretor do Departamento de Assistência Farmacêutica, José Miguel do Nascimento Jr.

De 2003 a 2006 o Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Ciência e Tecnologia financiou 74 projetos na área de Fitoterapia. Cerca de R$ 10 milhões foram destinados à pesquisas nessa área. Além disso, a Renisus vai subsidiar as ações dos outros ministérios participantes do Programa (Ministérios da Casa Civil; Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Cultura; Desenvolvimento Agrário; Desenvolvimento Social e Combate a Fome; Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior; Ciência e Tecnologia; Integração Nacional; e Meio Ambiente). A Renisus deverá ser revisada e atualizada periodicamente, a critério do Ministério da Saúde.



Fitoterápicos

O Sistema Único de Saúde (SUS) pretende ampliar, a partir de 2009, a lista de medicamentos fitoterápicos disponíveis na assistência farmacêutica básica em todo o país. O Ministério da Saúde também espera que com o Programa, os Estados possam se sentir estimulados a oferecer o serviço com esse tipo de medicamento – são 12 Estados ao todo que já oferecem.

Fitoterápico, de acordo com a legislação sanitária brasileira, é o medicamento obtido exclusivamente a partir de matérias-primas ativas vegetais. Os fitoterápicos utilizados pelo SUS são aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e, por isso, são considerados seguros e eficazes para a população.

De acordo com Nascimento, o programa tem um viés social, que mobiliza diversas áreas importantes, como a agricultura familiar, por exemplo. “É um instrumento de geração de emprego e renda, de desenvolvimento local e estruturação na cadeia produtiva, pois mobiliza desde o cultivo da planta medicinal até a produção do fitoterápico”.

O Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, instituído em dezembro de 2008 pela Portaria nº 2.960, tem como um de seus objetivos inserir, com segurança, eficácia e qualidade, plantas medicinais, fitoterápicos e serviços relacionados à Fitoterapia no SUS. O Programa busca, também, promover e reconhecer as práticas populares e tradicionais de uso de plantas medicinais e remédios caseiros.


Conheça as plantas medicinais que compõem a RENISUS

Espécies vegetais

01. Achillea millefolium
02. Allium sativum
03. Aloe spp* (A. vera ou A. barbadensis)
04. Alpinia spp* (A. zerumbet ou A. speciosa)
05. Anacardium occidentale
06. Ananas comosus
07. Apuleia ferrea = Caesalpinia ferrea *
08. Arrabidaea chica
09. Artemisia absinthium
10. Baccharis trimera
11. Bauhinia spp* (B. affinis, B. forficata ou B. variegata)
12. Bidens pilosa
13. Calendula officinalis
14. Carapa guianensis
15. Casearia sylvestris
16. Chamomilla recutita = Matricaria chamomilla = Matricaria recutita
17. Chenopodium ambrosioides
18. Copaifera spp*
19. Cordia spp* (C. curassavica ou C. verbenacea)*
20. Costus spp* (C. scaber ou C. spicatus)
21. Croton spp (C. cajucara ou C. zehntneri)
22. Curcuma longa
23. Cynara scolymus
24. Dalbergia subcymosa
25. Eleutherine plicata
26. Equisetum arvense
27. Erythrina mulungu
28. Eucalyptus globulus
29. Eugenia uniflora ou Myrtus brasiliana*
30. Foeniculum vulgare
31. Glycine max
32. Harpagophytum procumbens
33. Jatropha gossypiifolia
34. Justicia pectoralis
35. Kalanchoe pinnata = Bryophyllum calycinum*
36. Lamium album
37. Lippia sidoides
38. Malva sylvestris
39. Maytenus spp* (M. aquifolium ou M. ilicifolia)
40. Mentha pulegium
41. Mentha spp* (M. crispa, M. piperita ou M. villosa)
42. Mikania spp* (M. glomerata ou M. laevigata)
43. Momordica charantia
44. Morus sp*
45. Ocimum gratissimum
46. Orbignya speciosa
47. Passiflora spp* (P. alata, P. edulis ou P. incarnata)
48. Persea spp* (P. gratissima ou P. americana)
49. Petroselinum sativum
50. Phyllanthus spp* (P. amarus, P.niruri, P. tenellus e P. urinaria)
51. Plantago major
52. Plectranthus barbatus = Coleus barbatus
53. Polygonum spp* (P. acre ou P. hydropiperoides)
54. Portulaca pilosa
55. Psidium guajava
56. Punica granatum
57. Rhamnus purshiana
58. Ruta graveolens
59. Salix alba
60. Schinus terebinthifolius = Schinus aroeira
61. Solanum paniculatum
62. Solidago microglossa
63. Stryphnodendron adstringens = Stryphnodendron barbatimam
64. Syzygium spp* (S. jambolanum ou S. cumini)
65. Tabebuia avellanedeae
66. Tagetes minuta
67. Trifolium pratense
68. Uncaria tomentosa
69. Vernonia condensata
70. Vernonia spp* (V. ruficoma ou V. polyanthes)
71. Zingiber officinale

* definir a(s) espécie(s) com cultivo, estudos e indicação de uso.


Publicado por Marcos Vinhalem 9 de março, 2009

Fonte

Agência Saúde

AGENCIA.SAUDE@saude.gov.br

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

A colaboração: via de duas mãos



Uma das virtudes pouco lembrada é a colaboração.

A vida, pródiga de sabedoria em toda parte, demonstra o princípio da cooperação em todos os seus planos.

O verme enriquece a terra e a terra sustenta o verme.

A fonte auxilia as árvores e as árvores conservam a fonte.

O solo ampara a semente e a semente valoriza o solo.

As águas formam as nuvens e as nuvens alimentam as águas.

A abelha ajuda a fecundação das flores e as flores contribuem com as abelhas no fabrico do mel.

Um pão singelo é gloriosa síntese do trabalho de equipe da natureza.

Sem as lides da sementeira, sem as dádivas do sol, sem as bênçãos da chuva, sem a defesa contra os adversários da lavoura, sem a assistência do homem, sem o concurso do moinho e sem o auxílio do forno, o pão amigo deixaria de existir.

Um casaco inexpressivo é fruto do esforço conjugado do fio, do tear, da agulha e do costureiro, solucionando o problema da vestidura.

Podemos perceber nesses exemplos de colaboração um convite para que sejamos também colaboradores.

Sem nos darmos conta, muitos colaboram conosco no decorrer dos dias. São os médicos que nos atendem com presteza e afeto, doando-se além da sua obrigação. Professores que fazem jus ao seu salário, mas se empenham um tanto mais para que os alunos aprendam as lições.

É a sua colaboração espontânea.

Guardas de trânsito que se dedicam um pouco mais, prestando uma informação, ajudando alguém a atravessar a rua com delicadeza e boa disposição.

São os enfermeiros atenciosos que se esforçam por atender bem a um paciente, só porque seu coração assim o determina.

É alguém gentil que nos cede a passagem no trânsito. Um motorista anônimo que nos avisa do perigo na estrada. Um transeunte que ajuda um idoso ou cego a atravessar a rua...

Se é certo que pagamos por alguns desses serviços, também é certo que a dedicação e o carinho de cada profissional, ninguém, nem dinheiro algum, pode pagar. É a sua colaboração para o bem-estar do semelhante.

Se não nos damos conta de tudo isso, é porque talvez estejamos cegos para as coisas boas, ou porque estamos acostumados a perceber somente as coisas ruins.

É importante que tenhamos olhos para ver também as coisas boas que nos cercam.

Assim, também poderemos dar a nossa colaboração por mais singela que seja. Onde quer que estejamos. Para que a nossa vida e a vida dos que caminham conosco nessa estrada evolutiva possa ser mais suave.

Agindo com espírito de colaboração em tudo o que fizermos, estaremos colaborando de forma efetiva para o nosso próprio progresso espiritual. Porque extrapolamos as nossas obrigações para adentrar na função que nos cabe no progresso moral da humanidade.

Pense nisso!

A vida na terra é abençoada oportunidade de aprendizado para cada indivíduo.

Na colaboração mútua encontramos a chave que abrirá novos caminhos, quebrando as barreiras do individualismo e vivendo a verdadeira fraternidade.




Autor:
Fonte: Livro "Roteiro", cap. 32

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Permacultura



Cultura Permanente

Mediante aos acontecimentos destrutivos presentes em que a humanidade está inserida, no que se refere ao meio ambiente e sua destruição diária, verificamos que foi e é necessário o uso de novas técnicas em relação a utilização dos recursos naturais, sendo assim foi criada a permacultura.

O que é?

Varias são as respostas quando se pergunta o que é permacultura, pode-se dizer que permacultura é o resgate das raízes culturais de “bom senso” em consorcio com a tecnologia doce existente nos dias de hoje e com a observação das estratégias que a natureza usa para o seu equilíbrio. Trazendo assim espaços que trazem uma nova forma de interferência do homem no ambiente ao seu redor.


Origem:

Permacultura significa cultura permanente, foi criada na década de 70, pelo cientista Bill Moliison em parceria com David Holgren. Sendo assim se tratando de uma ciência fantástica e altamente profunda, a permacultura de difundiu em todas as partes do mundo.


Princípios da Permacultura:

A permacultura se divide em dois tipos de princípios: os de ética e os de design.

Princípios éticos:
•Cuidado com a terra
•Cuidado com as pessoas
•Partilha justa


Princípios de design:
•Observe e interaja
•Capte e armazene energia
•Obtenha rendimento
•Pratique a auto regulação e aceite retornos
•Use e valorize os serviços e recursos renováveis
•Não produza desperdícios
•Design partindo de padrões para chegar a detalhes
•Integrar ao invés de segregar
•Use soluções pequenas e lentas
•Use e valorize a diversidade
•Use as bordas e valorize os elementos marginais
•Use criativamente e responda as mudanças

www.sitiorefazenda.wordpress.com/permacultura

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Flor de Lótus



A flor-de-lótus (Nelumbo nucifera), também conhecida como lótus-egípcio, lótus-sagrado e lótus-da-índia, é uma planta da família das ninfáceas (mesma família da vitória-régia) nativa do sudeste da Ásia (Japão, Filipinas e Índia, principalmente).

Olhada com respeito e veneração pelos povos orientais, ela é freqüentemente associada a Buda, por representar a pureza emergindo imaculada de águas lodosas. No Japão, por exemplo, esta flor é tão admirada que, quando chega a primavera, o povo costuma ir aos lagos para ver o botão se transformando em flor.

Lótus é o símbolo da expansão espiritual, do sagrado, do puro.
A lenda budista nos relata que quando Siddhartha, que mais tarde se tornaria o Buda, tocou o solo e fez seus primeiros sete passos, sete flores de lótus cresceram. Assim, cada passo do Bodhisattva é um ato de expansão espiritual. Os Budas em meditação são representados sentados sobre flores de lótus, e a expansão da visão espiritual na meditação (dhyana) está simbolizada pelas flores de lótus completamente abertas, cujos centros e pétalas suportam imagens, atributos ou mantras de vários Budas e Boddhisattvas, de acordo com sua posição relativa e relação mútua.
Do mesmo modo, os centros da consciência no corpo humano (chacras) estão representados como flores de lótus, cujas cores correspondem ao seu caráter individual, enquanto o número de suas pétalas corresponde às suas funções.
O significado original deste simbolismo pode ser visto pela semelhança seguinte: Tal como a flor do lótus cresce da escuridão do lodo para a superfície da água, abrindo sua flores somente após ter-se erguido além da superfície, ficando imaculada de ambos, terra e água, que a nutriram - do mesmo modo a mente, nascida no corpo humano, expande suas verdadeiras qualidades (pétalas) após ter-se erguido dos fluidos turvos da paixão e da ignorância, e transforma o poder tenebroso da profundidade no puro néctar radiante da consciência Iluminada (bidhicitta), a incomparável jóia (mani) na flor de lótus (padma). Assim, o arahant (santo) cresce além deste mundo e o ultrapassa. Apesar de suas raízes estarem na profundidade sombria deste mundo, sua cabeça está erguida na totalidade da luz. Ele é a síntese viva do mais profundo e do mais elevado, da escuridão e da luz, do material e do imaterial, das limitações da individualidade e da universalidade ilimitada, do formado e do sem forma, do Samsara e do Nirvana.
Se o impulso para a luz não estivesse adormecido na semente profundamente escondida na escuridão da terra, o lótus não poderia se voltar em direção à luz. Se o impulso para uma maior consciência e conhecimento não estivesse adormecido mesmo no estado da mais profunda ignorância, nem mesmo num estado de completa inconsciência um Iluminado nunca poderia se erguer da escuridão do Samsara.
A semente da Iluminação está sempre presente no mundo, e do mesmo modo como os Budas surgiram nos ciclos passados do mundo, também os Iluminados surgem no presente ciclo e poderão surgir em futuros ciclos, enquanto houver condições adequadas para vida orgânica e consciente.

GIRASSOL




Nome científico: Helianthus annus

Família: Asteraceae (Compositae)

Nomes populares: girassol, girassol-de-jardim, girassol-vistoso.

Etimologia: nome originado do francês tournesol – planta de flor amarela que gira sobre ela mesma, acompanhando a luz do sol. A palavra Helianthus significa ‘flor do sol’.

Origem: Estados Unidos.

Características gerais: herbácea pilosa, perene, ramificada, ereta, com altura que pode variar de 0,30-2,0 m. Apresenta folhas ovalado-lanceoladas e ásperas. As inflorescências são em capítulos amarelos com o centro marrom escuro ou amarelado.

Condições de cultivo: essa cultura é pouco exigente em calor, desenvolvendo-se em ampla faixa de temperatura. No entanto, é sensível à geada, que danifica sua folhagem e provoca chochamento de grãos, quando ocorre na época do florescimento. Temperaturas elevadas na fase de formação e maturação das sementes podem acarretar redução no teor de óleo. O desenvolvimento e a produção dessa espécie requerem bom suprimento de água no solo no período entre a germinação das sementes e o início do florescimento.

Os solos mais indicados para a produção de girassol são os de textura média, profundos, com boa drenagem, razoável fertilidade e pH moderadamente ácido a neutro. Solos com acidez elevada ou acentuada pobreza química não devem ser usados para o cultivo do girassol sem a devida correção dessas deficiências.

Propagação: é feita utilizando-se as sementes.

Usos: apropriado para jardins, tanto em bordaduras como em conjuntos isolados. Também é comercializado como flor envasada. É cultivado em larga escala para a produção de óleo.

Curiosidades: os girassóis foram domesticados por volta do ano 1000 a.C. Francisco Pizarro encontrou diversos objetos incas e imagens moldadas em ouro que fazem referência aos girassóis como seu deus do Sol.

Segundo a mitologia grega, uma moça chamada Clitia, apaixonou-se pelo deus do Sol - Apolo. Sem poder alcançá-lo, observava-o cruzar o céu e após nove dias, ela foi transformada em um girassol.

‘Os Girassóis’ é o nome de uma das mais famosas pinturas de Vicent Van Gogh.

Significados: tem como significado principal a lealdade e a longevidade. São únicos na habilidade de prover energia vibracional, como um espelho do sol, provendo seu calor e sua luz, invocando sentimentos de calor, conforto e felicidade. Outros significados: dignidade, glória, paixão.

Engenheira Agrônoma, MSc. Márcia de Nazaré Oliveira Ribeiro

Engenheira Agrônoma, DSc. Patrícia Duarte de Oliveira Paiva

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Horta Mandala

Um sistema de produção que une bons resultados com a consciência ambiental. Assim são as hortas agroecológicas, que chamam a atenção pelo formato diferente dos canteiros. Programa Caminho do Campo da RPCTV Esplanada.


quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Boas novas!

Algumas boas novidades ocorreram nas últimas semanas , o que nos mostra que estamos alinhados com o Todo Maior! Amigos tem demosntrado que ao unirmos forças para a concretização de uma idéia, esta tem mais possibilidade de se tornar realidade. É claro que não basta apenas sonhar, mas de entrar em ação certos de que se este sonho beneficiar a muitas outras pessoas, o Universo conspirará a nosso favor! Depois da execução da 1ª Mandala, surge agora a necessidade de plantarmos as Ervas Aromáticas e mão de obra adequada para manter o local a ser cultivado.
Foi pensando assim que recebemos como presente um Show beneficiente que será oferecido por um cantor da jovem guarda, para arrecadarmos fundos e darmos continuidade a tudo o que pretendemos fazer.
Os idosos residentes na Casa de Repouso estão mobilizados e ansiosos com o dia da apresentação que será para eles um dia muito festivo!!! no próximo dia 29/09 comemora-se o Dia do Idoso, e o evento que faremos será em outubro( dia 18/10/09- domingo, à tarde). Em breve divulgo o preço dos ingressos( serão vendidos na casa de Repouso) para aqueles que estiverem mobilizados em auxiliar este Projeto.
Paz e Bem!!!!!

terça-feira, 25 de agosto de 2009

" Campo Limpo"

O primeiro canteiro de Ervas aromáticas , recebeu o nome de "Campo Limpo"; a partir de agora, aceitaremos a doação de mudas para começarmos o cultivo. Temos plena certeza de que muitos amigos, simpatizantes com o Projeto, nos brindarão com suas presenças e junto a nós farão parte desta caminhada!
Na prática, o perfume que sentimos ao lidar com estas plantas , nos desperta sentidos muitas vezes adormecidos... o ato de plantar, observar seu desenvolvimento, cuidar, colher, experimentar, nos remetem a uma " viagem" muito antiga... Sou Grata por este momento, em que posso resgatar toda esta história, inscrita em minhas memórias ancestrais
Algumas ervas mais usadas , que listo abaixo, poderão ser doadas por aqueles que desejarem, Casa de Repouso São Francisco de Paula - Estrada do Rio grande 4730- Taquara, RJ (www.casaderepousosfp.com.br)Tel./Fax: (21)2446-4410 - (21)3347-1444
Artemisia, Aniz estrelado, Alecrim, Endro, Cebolinha, Coentro, Alho, Curcuma Longa, Capuchinha, Estragão, Hortelã, Gengibre, Manjerona, Manjericão, Tomilho, Segurelha, Louro,
Gervrão,entre outras.
Paz e Bem!

sábado, 22 de agosto de 2009

Campo dos Sentidos

Nada ocorre por acaso quando estamos " ligados" ao Todo Maior.
Depois que começamos a dar os primeiros passos no Projeto, o Universo passou a enviar a cada dia algo novo para ser desenvolvido. Desde que Somos todos um, aquilo que penso, sinto, faço, falo, intereage com tudo ao meu redor, e como antenas passamos a ser receptores e transmissores deste campo de infinitas possibilidades! Tenho " inspirações" principalmente ao acordar, e um destes dias acordei com a palavra " Sentidos" ; à principio não entendi, mas ao chegar no Asilo, uma das residentes me falou que gostava muito de ouvir o barulho de água, que a acalmava; outros estavam sentados embaixo de uma das árvores ( alguns em cadeiras de rodas), observando e comentando sobre a beleza das mesmas; outros falavam que um dia poderiam comer as hortaliças que seriam ali plantadas.voltar a utilizar ervas e medicamentos feito das plantas que utilizavam quando crianças... então pensei em procurar algo que pudesse estimular os sentidos que alguns já estavam perdendo( audição, visão, paladar, tato, olfato).

Foi assim que encontrei este artigo publicado em um site:

O JARDIM SENSORIAL E SUAS CARACTERÍSTICAS
O jardim, desde a antiguidade, sempre foi um espaço de lazer e prazer mesclando um paradigma de sonho e realidade. Através deste espaço, era possível viajar no tempo, experimentar sensações diferentes, promover encontros e entrar em contato com a natureza em sua mais exuberante expressão.

Segundo Michael Corajaud, o jardim é como fragmento de um sonho e deve ser compartilhado por todo e qualquer usuário, incluindo os portadores de algum tipo de deficiência -- visual, auditiva ou física. Os idosos também têm direito, com sua natural perda de mobilidade e diminuição dos sentidos.
O jardim sensorial possui grande influência oriental, manifestando-se através de quatro sentidos do corpo humano:
• O tato, através das texturas das plantas,
• A audição, com os repuxos d'água,
• A visão, através das cores exuberantes e, finalmente
• O olfato com os aromas das espécies.
As pequenas fontes e repuxos d' água também são responsáveis por agradáveis sensações e podem ser inseridas em qualquer jardim através de um simples sistema de bombeamento de água semelhante ao utilizado em aquários. O som emitido pela água é calmante e terapêutico segundo especialistas holísticos.

As cores exuberantes das flores e folhagens também garantem excelentes resultados no que se refere ao aspecto visual do jardim. Suas combinações podem considerar as mais infinitas gamas de cores. Petúnias, rabos de gato, violetas, lírios da paz, gerânios, ixorIas e plumbagos estão entre as mais cotadas para pequenos vasos e jardineiras. O resultado policromático também pode variar conforme as estações do ano.

E, finalmente, os jardins sensoriais olfativos -– comumente conhecidos como jardins aromáticos ou de ervas, de influência medieval -- também podem ser utilizados. Nestes jardins é possível sentir o agradável aroma das ervas e temperos caseiros, além de servirem no preparo de receitas culinárias e temperos em geral. As espécies mais utilizadas são o alecrim, hortelã, manjericão, salsinha, cebolinha, gengibre, coentro, além de ervas que servem para ungüentos e chás, como camomila, erva doce e erva-cidreira, dentre outras.

Segundo especialistas, as ervas aromáticas possuem efeitos terapêuticos, entram através das células sensíveis que cobrem as passagens nasais, chegando direto para o cérebro. Desta forma tais ervas afetam as emoções, atuando no sistema límbico que também controla as principais funções do corpo.
http://funcionalidade.blogspot.com
Sinto que a medida que entrego todas estas idéias ao Plano Maior,no tempo certo tudo ocorrerá.
Sou Grata!

Hortas Mandala

Desde que começamos a implantação do Projeto Semente Viva há 3 meses,várias idéias vem se apresentando,e entre muitas as Hortas Mandala. Pesquisando sobre o assunto em sites na Internet, encontrei um grupo chamado Cepagro -Centro de Estudos e Promoção da Agricultura de Grupo – Uma organização não governamental, formada por entidades de apoio à Agricultura Familiar, de abrangência regional ou estadual, e por agricultores familiares.
Ao ler alguns links deste site, pensamos então começar em pequena escala a construção de algumas Mandalas na área cedida para o Projeto , pela Casa de Repouso São Francisco de Paula.
Descrevo abaixo parte do texto que fala das Hortas Mandala.

"...Aliando princípios agroecológicos, trabalho coletivo em mutirões e conhecimentos milenares das formas circulares, propomos às comunidades assessoradas as Hortas Mandala. Sabendo que “Mandala é uma palavra sânscrita, que significa círculo. Mandala também possui outros significados, como círculo mágico ou concentração de energia. Universalmente a mandala é o símbolo da totalidade, da integração e da harmonia.Esta proposta surge como alternativa às formas convencionais de produção de alimentos que são os canteiros quadrados e lineares, o trabalho individual e competitivo, bem como a utilização de adubos sintéticos e venenos para combater pragas e doenças.
O trabalho coletivo em mutirão na construção da horta é importantíssimo, não só por acompanhar os princípios que regem a forma Mandala “...a forma mandálica pode ser encontrada em todo início, na Terra e no Cosmo: a célula, o embrião, as sementes, o caule das árvores, as flores, os cristais, as conchas, as estrelas, os planetas, o Sol, a Lua, as nebulosas, as galáxias. Se observarmos o cotidiano a nossa volta, perceberemos estruturas mandálicas onde nunca pensaríamos haver, como no gostoso pãozinho ou no macarrão que comemos: começam com a massa que depois de amassada vira uma bola – mandala tridimensional – para crescer. O prato onde comemos tem a forma circular, e quando nos servimos formamos uma mandala colorida, que irá nos alimentar e nos nutrir, dando energia e vitalidade ao nosso corpo. A própria Terra foi formada por uma explosão de forma mandálica.”
Neste contexto, na comunidade rural das Três Barras em Palhoça( Santa Catarina), famílias organizadas em grupo, na forma de mutirão vem fazendo as Hortas Mandala para a produção de hortaliças, temperos e plantas medicinais".

Foi assim que através da contribuição de um grande amigo simpatizante com a idéia, fomos brindados com a doação do material necessário para fazermos à princípio 3 Mandalas, onde serão cultivadas Ervas aromáticas, Horta orgânica , e Plantas medicinais.
Neste período, outros amigos aos quais divulgamos este Projeto, vem nos ajudando na aquisição de material para manutenção e confecção dos canteiros; participação ativa no trabalho de Compostagem para a produção de adubo orgânico; limpeza da área...
Muito trabalho será necessário, mas com determinação, paciência, persitência, e comprometimento veremos um sonho se tronar realidade.
Paz e Bem!

http://www.cepagro.org.br
www.casaderepousosfp.com.br

Mandala 1º Passo

Peça e lhe será concedido

Show do Jerry Adriani

Show do Jerry Adriani

Nova Foto do Show de Jerry Adriani

Nova Foto do Show de Jerry Adriani

Chegou a Rede elétrica

Fomos presenteados com a reativação da rede elétrica na área onde serão cultivadas as Plantas Medicinais e Horta Orgânica. Em breve, novas luminárias chegarão !!!Deixamos aqui registrado nossos sinceros agradecimentos!

Rede Elétrica

Rede Elétrica

1ª Colheita de Ervas

1ª Colheita de Ervas

1º Plantio das Ervas

Hoje vimos a realização de um sonho- o plantio da 1ª Mandala!
Rigoberto , Maria Thereza, Silvana e amigos da Horta Árvore da Vida, doaram as primeiras mudas que plantamos em mutirão: Manjericão, Manjerona, Salsa, Cebolinha, Erva Cidreira, Estragão, entre outras. Enquanto um grupo fazia o plantio, outros limpavam o terreno das futuras Mandalas ( Horta e Plantas Medicinais). Foi uma manhã fantástica, e sou eternamente GRATA ao Universo por estar enviando pessoas comprometidas com esta idéia que agora torna-se real!

Plantio

Plantio

Mandala ficou pronta

Hoje dia 24/08/2009 concluímos a construção da 1º canteiro em forma de Mandala, ( onde serão cultivadas Ervas Aromáticas) com a ajuda dos amigos Augusto, Jeronimo e Nelson.Recebemos como doação, 4 mudas de árvores Floríferas, que serão plantadas no centro de cada Mandala, com diferentes cores ( que variam do vermelho ao branco).

Mandala

Mandala

Compostagem

Foi realizada a primeira " virada" da compostagem e as montamos com ajuda de Solange, Dirce e outros amigos da Comunidade do Anil.Todo este material produzido, será misturado a terra no momento do plantio, que deverá ocorrer no decorrer das próximas semanas.

Compostagem

Compostagem

1º Mutirão de Limpeza

1º Mutirão de Limpeza

Início do Projeto

Início do Projeto

Encontro na Associação da Famílias - RJ

Realizamos ontem, dia 14/11/09, sábado, o 1º grupo de alunos da Associação das Famílias, para Inclusão Digital. Estes encontros a serem agendados previamente tem o objetivo de levar noções práticas de Informática aos jovens e participantes da Associação. Serão formados pequenos grupos, e as aulas terão duração de 1 hora, quinzenalmente.( dia e hora a serem combinados).
Também iniciamos aulas práticas de T'ai Chi, para amigos, frequentadores da Associação, e da Horta árvore da Vida , com a finalidade de compartilharmos a filosofia e Arte desta prática milenar.
Nossos encontros serão agendados com antecedência; ambas as aulas são GRATUITAS, e a Associação das Famílias " abre suas portas" para receber aqueles que queiram desfrutar de momentos de integração com a Natureza ( visitando a Horta), e contribuindo com o Planeta.

End: Estrada do Pau Ferro 927- Freguesia Jacarepaguá- RJ

Encontro na Associação

Encontro na Associação

Horta Orgânica em Mendes

Horta Orgânica em Mendes

Apresentação da Tecnologia