PSV renascendo

O Projeto Semente Viva está renascendo!!!! A semente plantada há 4 anos, teve como inspiração a tia Zilda, que aparece aqui nesta foto em primeiro plano segurando uma mudinha de planta, como que ofertando a todos nós novas possibilidades!

Sou grata a direção da Casa de Repouso São francisco de Paula, que teve a iniciativa de re ascender o Projeto! os idosos que lá residem sempre foram simpatizantes com o mesmo, e tenho certeza que ficarão muito felizes em poder participar de alguma forma deste momento.

Que deus abençoe a todos!

Paz e Luz!!!!

PSV

PSV

PSV1

PSV1
PSV reinicia na Casa de Repouso São Francisco de Paula

Mini Horta em casa

E quem disse que espaço reduzido impede de cultivarmos nossa horta em casa? vejam só esta idéia!!!!!!!! Experimente, tente, faça algo diferente!!!!!!!

Jardim de Hortaliças

Ultimamente resolvi resgatar aquele lado em mim que adora o contato com a Natureza! como disponho de pequenos espaços em casa, vou aos poucos adaptando... como uma caminhada começa sempre com o 1º passo, estou na fase de enamoramento com os utensílios necessários para a minha pequena horta. Em breve vamos colher e comer algumas verduras que aqui serão cultivadas. ]

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Como Preparar Plantas Medicinais?

Tenho procurado trazer para este blog, artigos que penso serem interessantes para nos conscientizarmos do manancial que temos ao nosso dispor, e fazermos bom uso delas( as Plantas Medicinais); o uso popular que há muito já conhecemos, a cada dia torna-se mais estudado pela ciência oficial, então, aí vai um bom resumo :



"...Você ainda se perde quando surgem os termos “decocção”, “infusão”, “maceração”, etc.?
Com a rápida leitura deste artigo, você passará a saber preparar pelos diversos métodos citados nos textos.

O objetivo do preparo é tornar disponível ou separar as substâncias desejáveis da planta. Cada substância tem um método mais eficiente para sua extração, por isso, devemos sempre utilizar os métodos recomendados, para evitar a retirada de compostos indesejáveis da planta.

Infusão:
Consiste na colocação do material na água recém-fervida. É também chamado de abafamento.

Coloque o material vegetal picado em uma vasilha. Derrame sobre ele água fervente e deixe em repouso por aproximadamente 10 minutos, com o vasilhame preferencialmente tampado.

Banho:
Consiste no esmagamento do material em água fria para banhar as partes doentes.

Coloque o material vegetal com um pouco de água em uma vasinha e esmague, até que o material se desmanche. Utilize o líquido resultante para banhar as regiões doentes.

Decocção/Cozimento:
Consiste no cozimento do material na água. É também chamado de cozimento.

Coloque o material vegetal em uma panela com água fria, na proporção recomendada. Após o início da fervura, espere 5 a 10 minutos e apague o fogo, coando em seguida o chá resultante.

Maceração:
Consiste no esmagamento do material junto a um solvente (normalmente álcool de cereais ou água), para retirar as substâncias de interesse.

Pique a parte da planta e coloque-a em um pilão, ou mesmo em um copo, amassando-a ao máximo, tornando uma pasta. Misture o álcool de cereais ou água (de acordo com a recomendação para a planta) na pasta. Partes tenras da planta devem permanecer por pelo menos 12 horas. Para outras estruturas, o mínimo é de 18 horas. Esse tempo pode variar, de acordo com a recomendação.
Após o período necessário, coe a mistura, de preferência com um pano.

Tintura:
Consiste na colocação do material em descanso em álcool.

Coloque o material moído ou triturado em álcool etílico durante 2 dias ou mais, coando-se em seguida. Utilize a tintura nos locais afetados.

Xarope:
Consiste no cozimento do material com água e açúcar.

Ferva o material vegetal com água e açúcar, até que adquira consistência pegajosa. Tome o xarope de acordo com a indicação da planta ".

Antigos egípcios tratavam vinho com ervas medicinais




Enquanto hoje se tenta entender se o vinho faz mesmo bem ao coração, particularmente por ser uma rica fonte de antioxidantes, há milhares de anos uma antiga civilização
não tinha dúvidas. E ainda caprichava no tipo da bebida, ao acrescentar certos compostos para ampliar suas propriedades.
Em estudo publicado na edição impressa da revista "Proceedings of the National
Academy of Sciences", pesquisadores norte-americanos descrevem a descoberta de evidências de que os antigos egípcios tratavam vinho com ervas medicinais.

Na Antiguidade, o Egito era conhecido como um dos grandes centros também na questão da saúde, com uma extensa farmacopéia de produtos orgânicos que eram usados para tratar doenças e ferimentos.

Patrick McGovern, da Universidade da Pensilvânia, e colegas analisaram resíduos encontrados em um jarro datado em 3150 a.C., descoberto na tumba de um rei que precedeu a primeira dinastia dos faraós, Escorpião 1º, do Alto Egito. Por meio de métodos biomoleculares, os pesquisadores identificaram marcadores para uva e compostos fitoterápicos.

Segundo eles, o jarro foi impregnado com ervas, entre as quais bálsamo, menta, coentro e sálvia, além de resina de pinheiro. A análise de uma outra peça, uma ânfora produzida
entre os séculos 4 e 6 a.C. e encontrada em uma tumba no sítio arqueológico de Gebel Adda, também mostrou a presença de alecrim e de resina de pinheiro.

Estudos anteriores, menos precisos por não terem usado métodos biomoleculares, haviam apontado a presença de vinho em jarros. A nova pesquisa confirma a utilização e, portanto, a produção da bebida pelos egípcios há mais de 5 mil anos.

"Os resultados [da pesquisa] fornecem evidência química de remédios medicinais orgânicos no Antigo Egito, até então apenas documentada de maneira não conclusiva em papiros datados em 1850 a.C.", afirmaram os pesquisadores.

"O estudo ilustra como os humanos pelo mundo, provavelmente há milhões de anos, têm explorado seus ambientes naturais em busca de remédios herbais efetivos, cujos compostos ativos apenas recentemente começaram a ser isolados por técnicas
analíticas modernas", destacaram.

Fonte: Agência Fapesp

domingo, 10 de janeiro de 2010

Hortas Orgânicas


Construir uma horta é bastante fácil, prazeiroso e de baixo custo. Seus produtos são muito importantes para a alimentação da família, além da grande procura em decorrência das pessoas não quererem mais consumir os agrotóxicos que se encontram nas verduras e hortaliças convencionais.

Para ter uma horta orgânica basta apenas escolher um lugar adequado, não muito distante da casa ou mesmo no quintal ou espaços menores. Tem gente que produz até em terraços e balcões nas cidades, o que é chamado de Agricultura urbana. A única preocupação que se deve ter com o espaço escolhido é que o mesmo deve ser arejado e iluminado, para o bom desenvolvimento das plantas.

Torna-se necessário pensar na diversidade das culturas que se relacionam com harmonia e colocar algumas que desempenham papéis fundamentais no controle biológico de pragas, que sejam de fácil cultivo, com ciclos curtos, além de populares e saborosas. E adotando os princípios agroecológicos tudo isso fica mais equilibrado.

Junto com as hortaliças podem se plantar ervas medicinais e temperos ou ervas aromáticas. Precisando somente precisa de água, e se a área é um pouco maior o trabalho pode ser facilitado com sistemas muito simples de irrigação.

Para proceder ao cultivo da hortinha, os cuidados com o solo são muito importantes, pois ele é um ser vivo com recursos esgotáveis. Por isso, o ideal é que faça cobertura morta a fim de conservar suas condições físicas e biológicas, e adubação orgânica, pois a matéria que é decomposta no solo constitui a principal fonte de nutrientes para as plantas

Bom, como foi dito fazer uma horta orgânica não tem segredo e se pode utilizar os mais variados espaços, embalagens e recipientes, basta gostar de se relacionar com a natureza, e enriquecê-la com as mais variadas hortaliças, ervas medicinais, plantas defensivas, enfim, a ornamentação fica por conta do conhecimento e criatividade de quem a manuseia.

http://www.agroecologia.inf.br




O que é Agroecologia?


O conceito de agroecologia quer sistematizar todos os esforços em produzir uma proposta de agricultura abrangente, que seja socialmente justa, economicamente viável e ecologicamente sustentável; um modelo que seja o embrião de um novo jeito de relacionamento com a natureza, onde se protege a vida toda e toda a vida. Nesta visão se estabelece uma ética ecológica que implica no abandono de uma moral utilitarista e individualista e que postula a aceitação do princípio do destino universal dos bens da criação e a promoção da justiça e da solidariedade como valores indispensáveis.
Na agroecologia a agricultura é vista como um sistema vivo e complexo, inserida na natureza rica em diversidade, vários tipos de plantas, animais, microorganismos, minerais e infinitas formas de relação entre estes e outros habitantes do planeta Terra. Não podemos esquecer que a agroecologia engloba modernas ramificações e especializações, como: agricultura biodinâmica, agricultura ecológica, agricultura natural, agricultura orgânica, os sistemas agro-florestais, permacultura, etc.

Bom, mas apenas saber os vários conceitos do termo agroecologia, a partir de vários estudiosos, não significa que você está pronto para adotar as práticas agroecológicas. Fazer agroecologia é apenas uma fase posterior ao processo Sentir Agroecologia e Viver Agroecologia no coração, compreender a vida a partir de um organismo vivo, seja ele planta, animal ou próprio ser humano. Apreender as relações conjuntas e apreender que o planeta terra não é o lugar do qual vivemos, e sim, no qual vivemos.

http://www.agroecologia.inf.br

CULTIVO DE HORTA MEDICINAL


O uso de plantas medicinais pela população mundial tem sido muito significativo nos últimos tempos. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que cerca de 80% da população mundial fez o uso de algum tipo de erva na busca de alívio de alguma sintomatologia dolorosa ou desagradável.

Desse total, pelo menos 30% deu-se por indicação médica.
A utilização de plantas medicinais, tem inclusive recebido incentivos da própria OMS. São muitos os fatores que vêm colaborando no desenvolvimento de práticas de saúde que incluam plantas medicinais,principalmente econômicos e sociais.

"As plantas medicinais brasileiras não curam apenas, fazem milagres". Com esta célebre frase, Von Martius definiu bem a capacidade de nossas ervas medicinais. É bem provável que das cerca de 200.000 espécies vegetais que possam existir no Brasil, na opinião de alguns autores, pelo menos a metade pode ter
alguma propriedade terapeutica útil à população, mas nem 1% dessas espécies com potencial foi motivo de estudos adequados.

As pesquisas com estas espécies devem receber apoio total do poder público, pois,
além do fator econômico, há que se destacar a importância para a segurança nacional e preservação dos ecossistemas onde existam tais espécies.

Muitas substâncias exclusivas de plantas brasileiras encontram-se patenteadas por empresas ou órgãos governamentais estrangeiros, porque a pesquisa nacional não recebe o devido apoio.
Hoje em dia, o custo para desenvolver medicamentos sintéticos ou semissintéticos é muito elevado e tem se mostrado pouco frutífero.

Os trabalhos de pesquisa com plantas medicinais, via de regra, originam medicamentos em menor tempo, com custos muitas vezes inferior e, consequentemente, mais acessíveis à população que encontra-se sem quaisquer condições financeiras de arcar com os custos elevados da aquisição de
medicamentos que possam ser utilizados como parte do atendimento das necessidades primárias de saúde,principalmente porque na maioria da vezes as matérias primas utilizadas na fabricação desses medicamentos
são importadas.
Por esses motivos ou pela deficência da rede pública de assistência primária de saúde, cerca de 80% da população brasileira não tem acesso aos medicamentos ditos essenciais.
As plantas medicinais, que têm avaliadas a sua eficiência terapêutica e a toxicologia ou segurança do uso, dentre outros aspectos, estão cientificamente aprovadas a serem utilizadas pela população nas suas necessidades básicas de saúde
em função da facilidade de acesso, do baixo custo e da compatibilidade
cultural com as tradições populares.
Uma vez que as plantas medicinais são classificadas como produtos naturais
a lei permite que sejam comercializadas livremente, além de poderem ser cultivadas por aqueles que disponham de condições mínimas necessárias.
Com isto, é facilitada a automedicação orientada nos casos considerados mais simples e corriqueiros de uma comunidade, o que reduz a procura pelos profissionais de saúde, facilitando e reduzindo ainda mais o custo do serviço de saúde pública.
Por essas razões é que trabalhos de difusão e resgate do conhecimento de plantas vêm-se difundindo cada vez mais, principalmente nas áreas mais carentes.
Em todo o Brasil se multiplicam os programas de fitoterapia, apoiados pelo serviço público de saúde.
Têm-se formado equipes multidisciplinares responsáveis pelo atendimento fitoterápico, com profissionais encarregados do cultivo de plantas medicinais, da produção de fitoterápicos, do diagnóstico médico e da recomendação destes produtos.

Para a OMS, saúde é : "Um bem - estar físico, mental e social e não apenas ausência de doença.". O uso de plantas medicinais como prática alternativa pode contribuir para a saude dos indivíduos, mas deve ser parte de um sistema integral que torne a pessoa realmente saudável e não simplesmente "sem doença".



http://www.esalq.usp.br/siesalq

Peça e lhe será concedido

Show do Jerry Adriani

Show do Jerry Adriani

Nova Foto do Show de Jerry Adriani

Nova Foto do Show de Jerry Adriani

Chegou a Rede elétrica

Fomos presenteados com a reativação da rede elétrica na área onde serão cultivadas as Plantas Medicinais e Horta Orgânica. Em breve, novas luminárias chegarão !!!Deixamos aqui registrado nossos sinceros agradecimentos!

Rede Elétrica

Rede Elétrica

1ª Colheita de Ervas

1ª Colheita de Ervas

1º Plantio das Ervas

Hoje vimos a realização de um sonho- o plantio da 1ª Mandala!
Rigoberto , Maria Thereza, Silvana e amigos da Horta Árvore da Vida, doaram as primeiras mudas que plantamos em mutirão: Manjericão, Manjerona, Salsa, Cebolinha, Erva Cidreira, Estragão, entre outras. Enquanto um grupo fazia o plantio, outros limpavam o terreno das futuras Mandalas ( Horta e Plantas Medicinais). Foi uma manhã fantástica, e sou eternamente GRATA ao Universo por estar enviando pessoas comprometidas com esta idéia que agora torna-se real!

Plantio

Plantio

Mandala ficou pronta

Hoje dia 24/08/2009 concluímos a construção da 1º canteiro em forma de Mandala, ( onde serão cultivadas Ervas Aromáticas) com a ajuda dos amigos Augusto, Jeronimo e Nelson.Recebemos como doação, 4 mudas de árvores Floríferas, que serão plantadas no centro de cada Mandala, com diferentes cores ( que variam do vermelho ao branco).

Mandala

Mandala

Compostagem

Foi realizada a primeira " virada" da compostagem e as montamos com ajuda de Solange, Dirce e outros amigos da Comunidade do Anil.Todo este material produzido, será misturado a terra no momento do plantio, que deverá ocorrer no decorrer das próximas semanas.

Compostagem

Compostagem

1º Mutirão de Limpeza

1º Mutirão de Limpeza

Início do Projeto

Início do Projeto

Encontro na Associação da Famílias - RJ

Realizamos ontem, dia 14/11/09, sábado, o 1º grupo de alunos da Associação das Famílias, para Inclusão Digital. Estes encontros a serem agendados previamente tem o objetivo de levar noções práticas de Informática aos jovens e participantes da Associação. Serão formados pequenos grupos, e as aulas terão duração de 1 hora, quinzenalmente.( dia e hora a serem combinados).
Também iniciamos aulas práticas de T'ai Chi, para amigos, frequentadores da Associação, e da Horta árvore da Vida , com a finalidade de compartilharmos a filosofia e Arte desta prática milenar.
Nossos encontros serão agendados com antecedência; ambas as aulas são GRATUITAS, e a Associação das Famílias " abre suas portas" para receber aqueles que queiram desfrutar de momentos de integração com a Natureza ( visitando a Horta), e contribuindo com o Planeta.

End: Estrada do Pau Ferro 927- Freguesia Jacarepaguá- RJ

Encontro na Associação

Encontro na Associação

Horta Orgânica em Mendes

Horta Orgânica em Mendes

Apresentação da Tecnologia