PSV renascendo

O Projeto Semente Viva está renascendo!!!! A semente plantada há 4 anos, teve como inspiração a tia Zilda, que aparece aqui nesta foto em primeiro plano segurando uma mudinha de planta, como que ofertando a todos nós novas possibilidades!

Sou grata a direção da Casa de Repouso São francisco de Paula, que teve a iniciativa de re ascender o Projeto! os idosos que lá residem sempre foram simpatizantes com o mesmo, e tenho certeza que ficarão muito felizes em poder participar de alguma forma deste momento.

Que deus abençoe a todos!

Paz e Luz!!!!

PSV

PSV

PSV1

PSV1
PSV reinicia na Casa de Repouso São Francisco de Paula

Mini Horta em casa

E quem disse que espaço reduzido impede de cultivarmos nossa horta em casa? vejam só esta idéia!!!!!!!! Experimente, tente, faça algo diferente!!!!!!!

Jardim de Hortaliças

Ultimamente resolvi resgatar aquele lado em mim que adora o contato com a Natureza! como disponho de pequenos espaços em casa, vou aos poucos adaptando... como uma caminhada começa sempre com o 1º passo, estou na fase de enamoramento com os utensílios necessários para a minha pequena horta. Em breve vamos colher e comer algumas verduras que aqui serão cultivadas. ]

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Próximos eventos da Casa de Repouso São Francisco de Paula


A Casa de Repouso São Francisco de Paula, que gentilmente cede espaço para o Projeto Semente Viva, fará no mês de julho/2010 sua tão esperada Festa Julina; como de costume , este é um momento de integração entre os residentes ( em torno de 60 idosos), familiares e amigos, para divertirem-se além da oportunidade de contribuir com o Projeto através da doação de mudas de Plantas Medicinais, para recomeçarmos o plantio de novos canteiros, e ainda neste inverno termos uma Farmácia Viva, livre de agrotóxicos, para que possamos auxiliar de uma forma suave e natural, aqueles que lá residem.
Faremos um dia de muitas brincadeiras, música, e vamos voltar a ser crianças em companhia daqueles que um dia também desfrutaram da mesma disposição que hoje temos.
Certos que estaremos unidos em prol desta idéia, conto com vocês.
Contatos: Myrian M.M.Soares ( Email: myrianmarino@terra.com.br)

Ciclo de Palestras em Medicina Integrativa- Junho e Julho

Dando continuidade ao Ciclo de Palestras , abaixo a Programação de Junho e Julho

02/06//2010 “O Poder da Respiração”
Marise Ferrer – Fisioterapeuta, Instrutora Voluntária da Fundação Arte de Viver e Instrutora de Yoga

09/06/2010 “Alergia – O que é preciso saber?”
Dr. Silvio Lima Filho – Médico Alergista

16/06/2010 “Liberdade e Justiça Social – Mesa Redonda” ( Transferida para Agosto)
Renato Murad - Empresário

23/06/2010 “Yogoterapia Hormonal”
Amélia Maria de Matos – Profª de Educação Física, Instrutora Voluntária da Fundação Arte de Viver e Instrutora de Yoga

30/06/2010 “Uma Família Sob Deus”
Pastor Rigoberto F. da Silveira – Diretor da Filial RJ da Associação das Famílias para Unificação e Paz Mundial

07/07/2010 “Uma Visão Integral do Ser Humano”.
Dra. Margarida Ranauro – Engenheira, Coach Pessoal

14/07/2010 “Meio Ambiente, Alimentação e Saúde”
Gilberto Martin Magalhães – Apicultor

21/07/2010 “Teia da Vida – Rede de Ações – Projeto Oficina do Cuidado”
Dra. Solange Fagundes – Mestre em Ciências

28/07/2010 ”Porque é Tão Difícil a Convivência?”
Dra. Adriana Provedel – Psicóloga Clínica


COORDENAÇÃO: Dra. Myrian Marino Martins Soares - Médica Homeopata, Coach Pessoal
Dra. Sheila Dutra Garcia – Farmacêutica - Homeopatia

LOCAL: ASSOCIAÇÃO DAS FAMÍLIAS PARA UNIFICAÇÃO E PAZ MUNDIAL
Estrada do Pau Ferro, 927 - Freguesia – Jacarepaguá – Fone: 3435-9608

HORÁRIO: TODAS 4ª FEIRAS de 19:30 hs às 21:30 hs

Plantas regulamentadas pela ANVISA

Segue abaixo as Plantas Medicinais que a partir de agora serão validadas para estudos e posterior utilização pelo SUS:

Alcachofra – Cynara scolymus
•Alcaçuz - Glycyrrhiza glabra
•Alecrim – Rosmarinus officinalis
•Alecrim pimenta – Lippia sidoides
•Alho – Allium sativum
•Anis estrelado – Illicium verum
•Anis, Erva doce – Pimpinela anisum
•Arnica – Arnica montana
•Aroeira da praia – Schinus terebinthifolia
•Assa peixe – Vernonia polyanthes
•Barbatimão – Stryphnoden dromadstrigens
•Bardana – Arctium lappa
•Boldo baiano – Vernonia condensata
•Boldo do chile – Peumus boldus
•Boldo nacional, Hortelã homem, Falso boldo, Boldo africano – Plectranthus barbatus
•Cajueiro – Anacardium occidentale
•Calêndula – Calendula officinalis
•Camomila – Matricaria recutita
•Canela – Cinnamomum verum
•Capim santo, Capim limão, Capim cidreira, Cidreira – Cymbopogon citratus
•Carqueja – Baccharis trimera
•Cáscara sagrada – Rhamnus purshiana
•Castanha da índia – Aesculus hippocastanum
•Cavalinha – Equisetum arvense
•Chambá, Chachambá, Trevocumaru – Justicia pectoralis
•Chapéu de couro – Echinodorus macrophyllus
•Curcuma, Açafrão da Terra – Curcuma longa
•Dente de leão – Taraxacum officinale
•Erva baleeira – Cordia verbenacea
•Erva cidreira, Falsa melissa – Lippia alba
•Erva de bicho, Pimenteira dágua – Polygonum punctatum
•Espinheira santa – Maytenus ilicifolia
•Eucalipto – Eucalyptus globulus
•Garra do diabo – Harpagophy tumprocumbens
•Gengibre – Zingiber officinale
•Goiabeira – Psidium guajava
•Guaçatonga, Erva de lagarto – Casearia sylvestris
•Guaco – Mikania glomerata
•Guaraná – Paullinia cupana
•Hamamélis – Hamamelis virginiana
•Hortelã pimenta – Mentha x piperita
•Jucá, Pau ferro – Caesalpinia ferrea
•Jurubeba – Solanum paniculatum
•Laranja amarga – Citrus aurantium
•Macela, Marcela – Achyrocline satureioides
•Malva – Malva sylvestris
•Maracujá – Passiflora alata
•Maracujá – Passiflora incarnata
•Maracujá azedo – Passiflora edulis
•Melão de São Caetano – Momordica charantia
•Melissa, Erva cidreira – Melissa officinalis
•Mentrasto, Catinga de bode – Ageratum conyzoides
•Mil folhas – Achillea millefolium
•Mulungu – Erythrina verna
•Picão – Bidens pilosa
•Pitangueira – Eugenia uniflora
•Poejo – Mentha pulegium
•Polígala – Polygala senega
•Quebra pedra – Phyllanthus niruri
•Romã – Punica granatum
•Sabugueiro – Sambucus nigra
•Salgueiro – Salix alba
•Sálvia – Salvia officinalis
•Sene – Senna alexandrina
•Tanchagem, Tansagem, Tranchagem – Plantago major
•Unha de gato – Uncaria tomentosa

terça-feira, 18 de maio de 2010

E o Projeto continua...

Depois de aproximadamente 8 meses da implantação do Projeto Semente Viva , precisamos realinhar rumos. Encontramos muitos amigos solidários com a idéia; mobilizamos muitos " corações" que se dispuseram a contribuir para os primeiros passos.
Colhemos as primeiras ervas aromáticas, que foram utilizadas pelos idosos, mas com a chegada do intenso verão e com a mão de obra em menor quantidade, muitas ervas não resistiram... apesar de aparentemente termos reduzido nossos cuidados as plantas, a semente que foi plantada ainda está lá, a espera de um novo começo.
Assim é que AGORA, com a temperatura mais amena e com o sonho revitalizado, re começaremos o replantio- novas mudas, novas sementes, novas realizações.
As vezes é preciso recuar, esperar, manter a certeza absoluta que uma idéia que beneficiará a muitos sempre continuará germinando.
Sou Grata ao Universo por mais este momento de renovação, e recomeço!

Amigos que nos auxiliam no Projeto Semente Viva







Grata amigos( Dilma e Tarcísio)pelo estímulo e ajuda ao projeto!

Fitoterápicos e Plantas Medicinais

"...A proposta da Medicina Natural pode ser vista como uma prática médico-farmacêutica direcionada para uma dimensão mais ampla, mais saudável e que privilegia a melhoria da qualidade de vida das pessoas e das condições ambientais no planeta. Quando aplicada com base em conhecimentos, habilidades e tecnologias, esta pode ser capaz de levar aos usuários, à sociedade e ao planeta benefícios mútuos de forma consistente e sustentável.

E sustentabilidade deve ser a palavra de ordem para a utilização de plantas medicinais e fitoterápicos, pois estes apresentam papel importante na terapêutica uma vez que cerca de 25 % dos medicamentos prescritos mundialmente são de origem vegetal e entre os 252 fármacos essenciais selecionados pela Organização Mundial da Saúde, 11% são de origem exclusivamente vegetal e uma parcela significativa é preenchida por medicamentos semi sintéticos, obtidos a partir de precursores naturais.

Cabe esclarecer que de acordo com a OMS, plantas medicinais são todas aquelas silvestres ou cultivadas, utilizadas como recurso para prevenir, aliviar, curar ou modificar um processo fisiológico normal ou patológico, ou utilizado como fonte de fármacos e de seus precursores, enquanto fitoterápicos são produtos medicinais acabados e etiquetados, cujos componentes ativos são formados por partes aéreas ou subterrâneas de plantas, ou outro material vegetal, ou combinações destes, em estado bruto ou em formas de preparações vegetais.

É importante relatar também que é falsa a idéia de que o medicamento natural não faz mal à saúde. E isto contribui com a estatística de que no Brasil, segundo o Sistema de Informações Tóxico-Farmacológicas (SINITOX), os medicamentos ocupam o pri­meiro lugar entre os agentes causadores de intoxicações em seres humanos e o segundo lugar nos registros de mortes por intoxicação, embora, não sejam encontrados dados es­pecíficos relacionados exclusivamente à ingestão de plantas medicinais.

A falta de conhecimento a respeito de condições de cultivo, associada à correta identificação farmacobotânica da planta, informações insuficientes sobre reações adver­sas, esquema de dose diária (posologia), período de tempo a ser emprega­do, as interações entre medicamen­tos, dentre outras, podem ser causas responsáveis pela intoxicação".

sábado, 15 de maio de 2010

Fitoterápicos passam a ser oferecidos pelo SUS em 2010

Fitoterápicos produzidos com alcachofra poderão ser usados no SUS
Mais seis medicamentos fitoterápicos passarão a ser oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a partir de 2010. No total, o SUS contará com oito remédios desse tipo.

Serão incluídos na relação oferecida à população remédios feitos com alcachofra, aroeira, cáscara sagrada, garra do diabo, isoflavona da soja e unha de gato. Desde 2006, medicamentos produzidos com guaco e espinheira santa estavam disponíveis.

Porém, o diretor do Departamento de Assistência Farmacêutica do Ministério da Saúde, José Miguel do Nascimento Junior, ressalta que nem todos esses medicamentos estarão nos postos de saúde. Segundo ele, cabe ao gestor do SUS de cada localidade definir quais remédios comprar com a verba destinada pelo Ministério da Saúde, pelos estados e municípios.

Fitoterápicos feitos com guaco já eram utilizados pelo SUS desde 2006
A inclusão dos fitoterápicos no SUS significa que o administrador poderá comprar antibiótico, produto para asma e escolher também um xarope de guaco. Será levado em conta o costume do uso dessas plantas pela população. São seis novas opções terapêuticas que o gestor do SUS está autorizado a comprar para os pacientes, caso ele entenda que é interessante”, disse Nascimento Junior ao G1.

Receita médica
Apesar da distribuição pelo SUS ajudar a popularizar os fitoterápicos, especialistas alertam que esses medicamentos só podem ser consumidos com orientação médica.
Os medicamentos têm origem em plantas, mas isso não significa que podem ser tomados sem receita médica. Aquela ideia de que o que vem da terra não faz mal, não é verdade”, diz Ricardo Tabach, doutor em psicobiologia e pesquisador do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
De acordo com Tabach, tomar fitoterápicos junto com remédios tradicionais não é apenas desnecessário, mas também perigoso. O ato pode acarretar em uma interação medicamentosa com efeitos colaterais e reações adversas. Mesmo produtos naturais são perigosos. “Um paciente em tratamento com um remédio tradicional pode começar a tomar um chá para ajudar. Quando ocorrem efeitos colaterais, o médico acha que é o remédio, sem saber que o motivo foi a combinação com o chá”, diz.


A médica Ceci Mendes Carvalho Lopes, presidente da Associação Médica Brasileira de Fitomedicina (Sobrafito), acredita que a medida pode diminuir o preconceito dos próprios médicos em relação aos fitoterápicos. “Existe um preconceito imenso que, na realidade, não tem sentido, mas está baseado no fato de muitas faculdades não terem fitoterapia no currículo. O médico tem receio de se comprometer com uma coisa que ele não conhece”, disse.

Para a médica, se o medicamento existe e tem efeito comprovado, não há motivos para não usá-lo. “Não pode acreditar só na tradição popular. Desde que exista o respaldo científico, o fitoterápico é uma opção para o médico conforme cada caso”, afirma Ceci.


Registro
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que os oito medicamentos têm registro. Segundo a Anvisa, há 512 medicamentos fitoterápicos registrados, que são fabricados por 119 empresas.

Segundo Nascimento Junior, os oito fitoterápicos disponíveis no SUS foram determinados a partir de alguns critérios, como ser originário de plantas nativas do Brasil ou exóticas adaptadas, estar representado nas cinco regiões do Brasil e ter indicação para uso em doenças da atenção básica.

A expectativa do governo é que os medicamentos sejam usados em todos os estados. “É um processo de crescimento para romper barreiras, preconceitos e ganhar o status como o de outros medicamentos”, afirma Nascimento Junior.

Lista de medicamentos oferecidos pelo SUS:




(Reprodução/TV Globo) Alcachofra
Tratamento de dores na região abdominal associadas a disfunções relacionadas ao fígado e à bile.




(Reprodução/TV Globo) Aroeira
Produtos ginecológicos anti-inflamatórios.





(Reprodução/TV Globo) Isoflavona da Soja
Climatério (coadjuvante no alívio dos sintomas)






(Reprodução/TV Globo) Unha de Gato
Anti-inflamatório (oral e tópico) nos casos de artrite reumatóide, osteoartrite (artrose) e como imunoestimulante.



(Arquivo/Embrapa) Guaco
Indicado para tosse, bronquite, asma, pigarro, rouquidão e inflamação na garganta.


Espinheira Santa
Indicada no combate a úlceras e problemas estomacais.


Cáscara Sagrada (constipação intestinal)



Garra do Diabo
Anti-inflamatório (oral) para dores lombares, osteoartrite (artrose)


*Fonte: Portal G1 e Ministério da Saúde




Horta Medicinal


Tendo em vista os novos rumos do Projeto Semente Viva, torna-se necessário uma ampliação dos estudos referentes a implantação de Projetos que visem beneficiar a comunidade local, quer seja oferecendo informação quanto ao manuseio da terra; tipos de plantas que mais se adequem ao solo, temperatura , ambiente; o plantio e cuidado subsequente a implantação do Projeto; o envolvimento da comunidade...

Existem vários artigos escritos sobre o assunto, e apartir de agora, compartilharei neste Blog alguns alinhados com nossas idéias, para que juntos possamos aprender mais sobre esta empreitada.

Desde já agradeço A Grande Sabedoria por colocar a nossa disposição um local propício para este trabalho!


"...O uso de plantas medicinais é bastante disseminado entre a população brasileira. Muitas vezes, mesmo depois de receber uma medicação ao passar por uma consulta na rede de saúde, as pessoas optam por não tomar o remédio receitado, tratando-se com chás, xaropes, infusões, pomadas e outros, indicados por raizeiros e rezadeiras de sua comunidade.

Outras vezes, optam diretamente pelas ervas por não ter acesso aos medicamentos. Ainda assim, vários profissionais biomédicos condenam esta prática por não haver comprovação científica do potencial curativo das plantas utilizadas.

Uma alternativa que vem sendo incentivada pela Organização Mundial da Saúde, no intuito de diminuir a exclusão dos sistemas governamentais de saúde, é que que cada país proceda a um levantamento regional das plantas utilizadas na medicina popular tradicional, estimulando e recomendando o uso das que tiverem eficácia comprovada, desaconselhando as que podem ser prejudiciais e, acima de tudo, desenvolvendo projetos de cultivo e uso das plantas selecionadas.

No Brasil, há programas de fitoterapia no sistema municipal de saúde em várias prefeituras. Mesmo sem ser reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina, a prática é autorizada na rede pública por uma resolução do Ministério da Saúde, de 1988. Em 2001, o ministério elaborou um documento com diretrizes para o uso de fitoterápicos no sistema público de saúde.

O uso de plantas medicinais pressupõe identificar as plantas que têm caráter medicinal e a maneira como elas devem ser aplicadas.

Além disso, as plantas devem ser adequadamente cultivadas e distribuídas para a população. No caso de usos na forma de chás ou compostos, é preciso que o Departamento de Farmácia da

Secretaria de Saúde esteja equipado para produzi-los.

Por meio da implantação de hortas comunitárias e de um programa de produção, cultivo, elaboração e distribuição de plantas medicinais, as prefeituras podem garantir à população o acesso a medicamentos, diminuindo custos e valorizando o saber popular.

HORTAS COMUNITÁRIAS

A fim de suprir a necessidade de plantas medicinais para áreas urbanas de grandes cidades, assim como de comunidades rurais, pode-se implantar e disseminar hortas medicinais comunitárias.

As hortas são um espaço comunitário para o cultivo das plantas medicinais. Sua implantação permite o suprimento em quantidades suficientes das plantas validadas cientificamente para uso terápico das famílias que vivem nas proximidades das hortas.

As hortas locais descentralizadas não suprimem a necessidade de se instalar um horto principal, organizado para a produção de massa verde e a preparação de mudas das plantas medicinais para distribuição. Além disso, é o horto principal que produz os fitoterápicos e as plantas secas e realiza pesquisas científicas com as plantas.

O horto principal permite instalar e manter as hortas caseiras e comunitárias por meio da produção e distribuição de mudas genuínas; permite preservar as espécies medicinais nativas ou cultivadas na região e garantir a continuidade do processo de recuperar a informação popular sobre as plantas medicinais.

Também serve como uma base para o desenvolvimento de pesquisas sobre as plantas.

CUIDADOS

É fundamental realizar uma pesquisa sobre os princípios ativos das plantas da região, bem como quais suas indicações, contra-indicações e em que quantidades devem ser usadas. Esse cuidado é essencial para que plantas ou quantidades erradas não tragam prejuízo para a saúde da população. Além disso, nas cartilhas e oficinas com raizeiros, rezadeiras e a população em geral deve-se desaconselhar o uso de fitoterápicos com efeitos não comprovados.

Esse mesmo cuidado deve ser tomado com os profissionais da saúde.

A correta manipulação das plantas também é essencial. Seja desenvolvendo compostos, chás ou simplesmente secando as plantas, deve-se ter cuidado com materiais utilizados, quantidades, informações e bulas e, principalmente, embalagens, para que as plantas não sejam contaminadas com fungos e bactérias.

PROJETO FARMÁCIAS VIVAS

O Projeto Farmácias Vivas, da Universidade Federal do Ceará, já com 20 anos de experiência, é o primeiro programa de assistência social farmacêutica baseado no emprego de plantas medicinais no Brasil.

Nasceu como resultado da busca de uma metodologia que integrasse o conhecimento das práticas da medicina tradicional nordestina aos conhecimentos da fitoterápia científica.

O principal objetivo do projeto é substituir o uso empírico de plantas medicinais pelo uso correto das plantas existentes na região, selecionadas pela sua eficácia e segurança cientificamente comprovadas e garantindo à população em geral o acesso aos medicamentos.

Para isto, busca desenvolver uma mentalidade preservacionista da natureza, por meio do conhecimento da importância das plantas medicinais regionais na manutenção e na recuperação da saúde; estruturar um serviço de seleção, coleta, domesticação, registro, divulgação e cultivo de plantas medicinais usadas na região, em forma silvestre ou cultivada, de modo a oferecer às comunidades, plantas com eficácia e segurança terapêutica comprovadas.

A idéia central que move as pesquisas é recuperar os conhecimentos tradicionais baseados na identidade cultural das populações, integrando o saber popular e o conhecimento científico.

Após o estudo e levantamento das plantas da região que tenham funções terapêuticas cientificamente comprovadas, o programa opera em diversos locais, onde as plantas são cultivadas em pequenas hortas medicinais comunitárias. A partir daí, elas são manipuladas tecnicamente para sua transformação em medicamentos e distribuídas para a população local, sob a forma de chás ou de alguns preparos fitoterápicos".


Autores: Veronika Paulics e Gabriela Lotta
Contato: dicas@polis.org.br

Peça e lhe será concedido

Show do Jerry Adriani

Show do Jerry Adriani

Nova Foto do Show de Jerry Adriani

Nova Foto do Show de Jerry Adriani

Chegou a Rede elétrica

Fomos presenteados com a reativação da rede elétrica na área onde serão cultivadas as Plantas Medicinais e Horta Orgânica. Em breve, novas luminárias chegarão !!!Deixamos aqui registrado nossos sinceros agradecimentos!

Rede Elétrica

Rede Elétrica

1ª Colheita de Ervas

1ª Colheita de Ervas

1º Plantio das Ervas

Hoje vimos a realização de um sonho- o plantio da 1ª Mandala!
Rigoberto , Maria Thereza, Silvana e amigos da Horta Árvore da Vida, doaram as primeiras mudas que plantamos em mutirão: Manjericão, Manjerona, Salsa, Cebolinha, Erva Cidreira, Estragão, entre outras. Enquanto um grupo fazia o plantio, outros limpavam o terreno das futuras Mandalas ( Horta e Plantas Medicinais). Foi uma manhã fantástica, e sou eternamente GRATA ao Universo por estar enviando pessoas comprometidas com esta idéia que agora torna-se real!

Plantio

Plantio

Mandala ficou pronta

Hoje dia 24/08/2009 concluímos a construção da 1º canteiro em forma de Mandala, ( onde serão cultivadas Ervas Aromáticas) com a ajuda dos amigos Augusto, Jeronimo e Nelson.Recebemos como doação, 4 mudas de árvores Floríferas, que serão plantadas no centro de cada Mandala, com diferentes cores ( que variam do vermelho ao branco).

Mandala

Mandala

Compostagem

Foi realizada a primeira " virada" da compostagem e as montamos com ajuda de Solange, Dirce e outros amigos da Comunidade do Anil.Todo este material produzido, será misturado a terra no momento do plantio, que deverá ocorrer no decorrer das próximas semanas.

Compostagem

Compostagem

1º Mutirão de Limpeza

1º Mutirão de Limpeza

Início do Projeto

Início do Projeto

Encontro na Associação da Famílias - RJ

Realizamos ontem, dia 14/11/09, sábado, o 1º grupo de alunos da Associação das Famílias, para Inclusão Digital. Estes encontros a serem agendados previamente tem o objetivo de levar noções práticas de Informática aos jovens e participantes da Associação. Serão formados pequenos grupos, e as aulas terão duração de 1 hora, quinzenalmente.( dia e hora a serem combinados).
Também iniciamos aulas práticas de T'ai Chi, para amigos, frequentadores da Associação, e da Horta árvore da Vida , com a finalidade de compartilharmos a filosofia e Arte desta prática milenar.
Nossos encontros serão agendados com antecedência; ambas as aulas são GRATUITAS, e a Associação das Famílias " abre suas portas" para receber aqueles que queiram desfrutar de momentos de integração com a Natureza ( visitando a Horta), e contribuindo com o Planeta.

End: Estrada do Pau Ferro 927- Freguesia Jacarepaguá- RJ

Encontro na Associação

Encontro na Associação

Horta Orgânica em Mendes

Horta Orgânica em Mendes

Apresentação da Tecnologia